Sobre o Islamismo

Kaaba - Mesquita de Al Masjid Al-Haram em Meca

O Islamismo é um assunto importantíssimo atualmente e como vou entrar nesse assunto sempre que for necessário, e o politicamente correto contamina a tudo e a todos, resolvi fazer esta postagem um pouco mais esclarecedora porque pelos comentários de alguns leitores já percebi certo chiado na interpretação dos meus escritos. 

Para que não fique confuso, é preciso deixar claro eu não tenho nada contra a religião de Maomé. Acredito que alguma coisa de sobrenatural abordou o profeta no começo do século VII e já encontrei muitas verdades no Corão. Se isso não fosse um fato, não existiria, depois de tanto tempo, um bilhão de pessoas repetindo os mesmos versos com dedicação e disciplina invejáveis. Não cabe a um Cristão julgar a sacralidade do Islamismo, ou a veracidade das suas proposições. Considero minha religião melhor do que as outras, assim como cabe aos muçulmanos considerar melhor a sua, e isso é o máximo que podemos ir em uma comparação superficial entre religiões. Uma religião só se conhece praticando-a. Por isso não é da religião muçulmana que se trata quando escrevo contra o Islã político, mas de um projeto de poder com pretensões globalistas evidentes.

Para que fique ainda mais evidente esta separação, escrevo muçulmanos para definir os religiosos, e islâmicos para definir os políticos, sem, no entanto, esquecer que muitas vezes os pacíficos religiosos não condenam e até apóiam os sangrentos políticos.

Não é possível negar o fato de que o Islã começa a nascer nas pregações do profeta e neste período arrebanhou menos de 50 fiéis, depois, por meio da espada, Maomé tornou-se o maior líder de sua época, acumulando riquezas e centralizando o poder em todas as suas formas: religioso, econômico, político e militar. Este espírito político e guerreiro, que também habitou certo tempo no cristão europeu, hoje predomina entre os líderes islâmicos mesmo sendo minoria entre os muçulmanos. 

Os Muçulmanos e o Islâmico
É possível uma analogia com o que ocorre hoje no Cristianismo: mesmo não sendo consenso entre a maioria dos cristãos, líderes católicos e protestantes pregam doutrinas contrárias às palavras do próprio Cristo. Teologia da Libertação e Teologia da Prosperidade são exemplos claros de doutrinas ideológicas que se apóiam estrategicamente em interpretações equivocadas da Sã Doutrina. Se no cristianismo político utilizam-se da caridade cristã para defender invasão e roubo, por exemplo, no islamismo político utilizam-se da honrada submissão muçulmana para convencer um adolescente a explodir seu corpo em um shopping center. São pecados de gravidades diferentes, mas ambos têm na distorção doutrinária a sua origem.

Feita esta ressalva, afirmo que o Islã político, este que pretende impor ao mundo a sharia, a lei religiosa que condena homossexuais e adúlteros ao apedrejamento, que rebaixa os não-muçulmanos e as mulheres à condição de animais, este Islã é meu inimigo, assim como considero inimigos os globalistas reunidos em torno do Consórcio, assim como não tolero os avanços do comunismo internacional. Todos, enfim, que valorizam o coletivo mediante o esmagamento do indivíduo são meus inimigos declarados.

Para entender melhor sobre islamismo e a atual revolta do mundo islâmico, sugiro a leitura dos seguintes artigos:


Artigos de Heitor de Paola:


Islã, Carta a um amigo

Subsídios para entender o Islam (e as bases de sua diplomacia) I

Subsídios para entender o Islam (e as bases de sua diplomacia) II

Subsídios para entender o Islam (e as bases de sua diplomacia) III

O mito da divisão islâmica

Ventos perigosos para Israel e o mundo


Artigo de Ivanaldo Santos:

A Irmandade Muçulmana não é um movimento iluminista


 ...

Eu sou o Caminho, e a Verdade e a Vida;
ninguém vem ao Pai, senão por mim. 

(João 14:6)

5 comentários:

Fernanda disse...

Olá Ale.!

Tenho estado ausente e estarei, mas vim saber de si, li atentamente o seu texto e já agora deixo o comentário.
A minha opinião não difere em muito da sua, mas há contudo algumas, e essas são principalmente as que se prendem com facto de ser agnóstica.
Não condeno nenhuma religião nem quem as pratica, só não suporto fanatismos... venham eles de onde vierem.
Infeliz e particularmente no Mundo Islâmico, há muito (ou mesmo desde sempre) que se cometem atrocidades hediondas me nome da religião. Isso é ignóbil.

Há também uma passagem no seu texto, sobre o avanço do comunismo, que não entendo.
Não compreendo o seu receio, e muito menos sei, onde se fundamenta para tal observação.
Não creio que neste aspecto deva estar preocupado.

Amigo, não costumo falar nem dum tema nem do outro, por opção.
Espero que me admita a opinião sem ofensa, pois ela não existe, de todo!

Beijinhos

benedito assis(ditocola) disse...

Ningué vai a Deus senão por Jesus Cristo. Mas como sabes a salvação é individual, portanto Deus te abencoe e um abraço da paz a Santa paz de Deus.

godrow disse...

Nao confio em religioes, princialmente numa que discrimina as mulheres, apenas as tratam como seres mais insignificantes do que camelos. Indico que leia novamente o Quran, voce tera' uma nova visao, nao tao romantica como desta vez. Abracos

Jefferson disse...

Amigo permita-me indicár um texto publicado em nosso blog que ajudará ainda mais em sua compreensão quanto ao Islã:

Lei Islâmica - Sharia para não-muçulmanos: http://olhonajihad.blogspot.com/2011/06/lei-islamica-sharia-para-os-nao.html

ton disse...

ton disse...
amigo sei q vc é muito esclarecido sobre váris verdades, mas se informando melhor sobre religião verá q a mesma não existe , ou seja quando o pai enviou se filho à terra foi para q o mesmo espalhasse a palavra do criador, e não religiões pois estas só dividem a toda humanidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...