Um texto essencial de Ives Gandra Martins


Hoje, tenho eu a impressão de que o "cidadão comum e branco" é agressivamente discriminado pelas autoridades e pela legislação infraconstitucional, a favor de outros cidadãos, desde que sejam índios, afrodescendentes, homossexuais ou se autodeclarem pertencentes a minorias submetidas a possíveis preconceitos.

Assim é que, se um branco, um índio e um afrodescendente tiverem a mesma nota em um vestibular, pouco acima da linha de corte para ingresso nas Universidades e as vagas forem limitadas, o branco será excluído, de imediato, a favor de um deles! Em igualdade de condições, o branco é um cidadão inferior e deve ser discriminado, apesar da Lei Maior.

Os índios, que, pela Constituição (art. 231), só deveriam ter direito às terras que ocupassem em 5 de outubro de 1988, por lei infraconstitucional passaram a ter direito a terras que ocuparam no passado. Menos de meio milhão de índios brasileiros - não contando os argentinos, bolivianos, paraguaios, uruguaios que pretendem ser beneficiados também - passaram a ser donos de 15% do território nacional, enquanto os outros 185 milhões de habitantes dispõem apenas de 85% dele.. Nessa exegese equivocada da Lei Suprema, todos os brasileiros não-índios foram discriminados.

Aos 'quilombolas', que deveriam ser apenas os descendentes dos participantes de quilombos, e não os afrodescendentes, em geral, que vivem em torno daquelas antigas comunidades, tem sido destinada, também, parcela de território consideravelmente maior do que a Constituição permite (art. 68 ADCT), em clara discriminação ao cidadão que não se enquadra nesse conceito.

Os homossexuais obtiveram do Presidente Lula e da Ministra Dilma Roussef o direito de ter um congresso financiado por dinheiro público, para realçar as suas tendências - algo que um cidadão comum jamais conseguiria!

Os invasores de terras, que violentam, diariamente, a Constituição, vão passar a ter aposentadoria, num reconhecimento explícito de que o governo considera, mais que legítima, meritória a conduta consistente em agredir o direito. Trata-se de clara discriminação em relação ao cidadão comum, desempregado, que não tem esse 'privilégio', porque cumpre a lei.

Desertores, assaltantes de bancos e assassinos, que, no passado, participaram da guerrilha, garantem a seus descendentes polpudas indenizações, pagas pelos contribuintes brasileiros. Está, hoje, em torno de 4 bilhões de reais o que é retirado dos pagadores de tributos para 'ressarcir' aqueles que resolveram pegar em armas contra o governo militar ou se disseram perseguidos.

E são tantas as discriminações, que é de perguntar: de que vale o inciso IV do art. 3º da Lei Suprema?

Como modesto advogado, cidadão comum e branco, sinto-me discriminado e cada vez com menos espaço, nesta terra de castas e privilégios.



Ives Gandra da Silva Martins é renomado professor emérito das universidades Mackenzie e UNIFMU e da Escola de Comando e Estado do Exército e presidente do Conselho de Estudos Jurídicos da Federação do Comércio do Estado de São Paulo.



ANEXOS:

INCISO IV DO Art. 3º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL A QUE SE REFERE O DR. IVES GRANDA, NA ÍNTEGRA:

"promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação."



"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto". (Senado Federal, RJ. Obras Completas, Rui Barbosa. v. 41, t. 3, 1914, p. 86)


O RacioSÍMIO de um inteleQUITUAL

Momento "Filosofando"

Vladimir Safatle, que não é filósofo de maneira alguma, mas ocupa uma cadeira na Faculdade de Filosofia da USP e espaço na Folha de São Paulo, escreveu uma bobagem chamada Colapso Moral, que começa assim:

Aqueles que se vêem como excluídos da sociedade
não têm razão alguma para obedecer às suas normas.  

Isso mesmo. Leia de novo. Pode parecer brincadeira, mas não é. 

Pela lógica deste que Gramsci chamaria de intelectual orgânico, e que Lênin nomearia "idiota útil", quem não concorda com as leis de uma sociedade pode desrespeitá-la sem pestanejar.

Seguindo este racioSÍMIO, aposentadoria para invasores do MST, bolsa-reclusão para criminosos e comendas de direitos humanos para quem promove a pedofilia passam a ser aceitáveis e até "normais". O desdobramento dessa lógica primata, no entanto, leva a conseqüências ainda mais estúpidas - e moralmente perigosas. Só um exemplo: quem discordar das leis que regulam a propriedade pode roubar sem qualquer cerimônia e com a consciência bem tranqüila;

Mas como não poderia deixar de ser, o pseudo-filósofo-marxista-militante não está sozinho, sua provável "ídola", Marta Suplicy, disse algo parecido, também na Folha (coincidência?).

Quando comecei esta postagem tinha mais para escrever, mas creio que estes dois casos bastam para mostrar as causas desta imoralidade que reina no Brasil dos nossos dias.

PS: Graças ao bom Deus não tenho nenhum parente ou amigo estudando na USP...


Pela Ordem - Sobre a Igreja Católica



Não tenho qualquer procuração para defender o Catolicismo, também não acredito que a Igreja Católica precise da defesa deste católico relaxado. De qualquer forma, no entanto, a verdade deve sempre prevalecer neste blog, por isso resolvi refutar algumas bobagens que vejo espalhadas na Internet, muitas vezes por pessoas que acreditam estar contribuindo com o Cristianismo.

Em uma época em que todas as atitudes do inimigo estão organizadas e direcionadas, atacar a Igreja Católica é atacar o Cristianismo. Pense bem: após a queda da Igreja Católica, quanto tempo vai levar para caírem as igrejas protestantes?

As imagens e os santos
Muitos protestantes criticam os católicos por causa da nossa relação com as imagens. Isso se explica apenas pela falta de compreensão da diferença entre "adorar" e "venerar".  Católicos não adoram imagens, veneram imagens. E muitas vezes a presença de imagens no ambiente funciona como símbolo, lembrança e reforço para a presença de Deus. Digo isso por exepriência própria.

O mesmo se diz sobre os Santos, que mais do que produzir milagres, simbolizam a possibilidade de santificar nossa vida. Os Santos contam a história do Cristianismo, nos mostram como é possível seguir os exemplos de Jesus Cristo, dentro das nossas capacidades e apesar das falhas humanas. Santos não são adorados, mas venerados.

Os Livros da Bíblia
A Igreja Católica não incluiu livros da Bíblia, Lutero os retirou, aparentemente, porque estavam em contradição com sua teologia da salvação pela Graça.

A Inquisição
Já vi ignorantes dizendo que a Inquisição matou “milhões”. Nem os inimigos da Igreja Católica durante a Revolução Francesa chegaram a tamanhos absurdos. Hoje qualquer semi-analfabeto acusa a Igreja sem qualquer refutação, e por isso um bando de papagaios sai repetindo a ladainha sem nem saber do que se trata.

Na pior das hipóteses foram menos de 40.000 condenações em pelo menos 20 nações, durante 450 anos, sendo que a maioria dos condenados nunca chegou à punição de fato. O historiador Agostino Borromeo, por exemplo, sustenta que, na Espanha, apenas 1,8% dos investigados pela Inquisição espanhola foram mortos, e muitas vezes foram queimados bonecos nas condenações à revelia. No caso das bruxas, muitas foram queimadas em 2 séculos, principalmente na Alemanha e na Inglaterra protestantes, mas mesmo assim em número muito inferior às acusações modernas.

As Cruzadas
As Cruzadas foram uma resposta justa, proporcional e tardia às invasões islâmicas na Terra Santa e aos ataques às caravanas européias. Não “dizimaram populações”, não fizeram “rios de sangue” nem mataram milhões. Só a título de exemplo, a Primeira Cruzada partiu com cerca de 3.000 cavaleiros e tomou Jerusalém em 15 de Julho de 1099, com 1.000 homens, menos de um terço dos soldados inimigos.  Os cavaleiros cruzados foram os maiores guerreiros da História, tanto no aspecto técnico-militar quanto no aspecto moral-ético.

Todo o resto é balela!

Sei que um resumo como esse não esgota a discussão, mas o importante agora é afirmar que os  dogmas, diferenças teológicas e de interpretação podem ficar para mais tarde.

O tempo é de união:
"Defender a Igreja Católica é defender o Cristianismo e o Ocidente".
 

Mozart e a Musa II





A violinista Hilary Hahn nasceu na Virgínia, EUA, e em novembro próximo completa 32 anos. Já se apresentou nos mais nobres palcos do mundo, foi premiada com dois Grammy e eleita a Melhor Solista duas vezes pela Revista Billboard. Gravou vários cds, com obras de Mozart, Tchaikovsky, Mendelssohn e outros grandes compositores para violino, com destaque especial para a gravação dos 3 Concertos para Violino de Bach, que na opinião deste leigo é simplesmente a melhor gravação já feita (ouça um pouco aqui).

No vídeo acima está o primeiro movimento do Concerto n4 de Mozart. Imperdível!

(ah se ela soubesse que estou solteiro...)


Ouça também: Mozart e a Musa I


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...