Feliciano e o pensamento de manada

Récua se preparando para mais um protesto

Em toda a minha vida nunca presenciei uma imbecilidade coletiva tão evidente como esta que está ocorrendo no Brasil atualmente. Com o tempo, no entanto, percebi que a situação era ainda mais grave do que parece à primeira vista.

Toda esta histeria contra a permanência do deputado Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos tem um aspecto mais profundo e mais importante do que o circo armado na imprensa e nas redes sociais.

Como ando com pouco tempo, decidi escrever esta rápida postagem, que apesar de curta e até superficial, resume o que penso a respeito. Se for preciso e quando der tempo, farei outra mais completa.

Boi de piranha
Existe uma expressão popular para o ato de sacrificar o mais fraco de forma a permitir a sobrevivência dos mais fortes. Os criadores de gado, para atravessar um rio infestado de piranhas, matam algum animal velho ou doente e o colocam em um ponto do rio, de forma atrair todos os predadores. Enquanto as piranhas devoram o pobre animal, o resto do rebanho atravessa em segurança em outra parte do rio.

Enquanto a podridão corre solta nos gabinetes e autarquias, e as novas mentiras do governo vão aparecendo a cada dia; enquanto a seca do nordeste mata pessoas e milhares de animais; enquanto condenados em última instância assumem mandatos e cargos de confiança; enquanto a corrupção e a incompetência estão evidentes em todos os gabinetes, não parece curioso que o governo, que detém maioria no Congresso, permita que um deputado contrário à sua vontade de “modernizar os valores” da sociedade consiga a presidência da Comissão de Direitos Humanos?

E não é que eles conseguiram desviar a atenção de toda uma nação? Pense nisso...

E a Constituição?
A Constituição Brasileira garante a todo cidadão o direito de se expressar, mesmo quando está errado, mesmo quando fala bobagens. Garante também que ninguém é culpado até que se prove o contrário. Não existe democracia sem estas duas garantias.

O teste efetivo para se reconhecer um democrata é quando ele se depara com opiniões contrárias à sua. Quem grita pela democracia, mas ao primeiro sinal de discordância quer eliminar o contrário é um hipócrita, nada mais que isso.

O fato
Antes de qualquer outra coisa, vamos analisar os fatos. O pastor e deputado federal Marco Feliciano disse o que pensa. Errado ou certo, não vem ao caso agora, ele tem este direito. Quem diz isso é o bom senso e a Constituição.

A imprensa, com seu preconceito exacerbado contra religiosos de todas as vertentes, mas principalmente contra os Cristãos, eleva a dimensões estratosféricas as falas ou mensagens do pastor, como se aquilo fosse algum crime, o que efetivamente não é. Vou repetir porque sei que o nível de compreensão anda muito baixo: ele expressou uma opinião, de acordo com os direitos que nossas leis garantem não apenas a ele, mas a todos os brasileiros, inclusive aos idiotas que estão esperneando por aí.

A reação
Logo após surgiu uma reação desproporcional, raivosa e alucinada, contra a eleição e a permanência do deputado na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. A imprensa deixou de lado sua fingida imparcialidade e partiu para o ataque, muitas vezes pessoal e até familiar. Não vi essa indignação diante da roubalheira do mensalão, também não vi nenhuma gritaria por causa dos resultados ridículos de nosso sistema educacional, e nem mesmo diante dos 50.000 homicídios anuais. Que indignação é essa? Que tipo de sensibilidade essa gente tem?

Outra coisa: racismo é crime, e cabe ao acusador provar o que diz. Caso contrário, comete calúnia, ou falsa imputação de crime, que no Brasil é crime também (artigo 138 do Código Penal). Ninguém se atentou a isso. A imprensa, que utiliza o "suposto isso", "suposto aquilo" mesmo diante de um réu confesso, não teve a mínimo respeito e colou em Feliciano o carimbo: "racista e homofóbico".

Gravidade (ou “o buraco é mais embaixo”)
Toda esta histeria coletiva parece espontânea, mas não é. Existe um método e uma estratégia por trás desta massa de manobra que atua como um batalhão de choque da imbecilidade. É claro que muitos que estão protestando contra o deputado acreditam estar agindo em prol dos direitos humanos, do bem e da Justiça. Sinto desapontá-los, mas estão sendo manipulados por interesses muito menos nobres e pouco difundidos.

Na verdade, o pensamento de manada (ou récua, melhor dizendo) que está se evidenciando no ataque ao deputado Feliciano obedece a um método de tomada de poder que não passa pelas vias normais, democráticas e constitucionais.

Como sabem que a maioria das pessoas é silenciosamente contrária às suas idéias e que teriam suas causas derrotadas em uma confrontação direta -- um plebiscito, por exemplo --, preferem o caminho mais fácil, mais sujo e nem um pouco democrático.

O método é o seguinte: junte um bando de ativistas desocupados – ou ideólogos ocupadíssimos--, meia dúzia de “artistas” e mais uma penca de jornalistas “comprometidos com a causa”. Pela gritaria que fazem, arregimentam mais um bando de desinformados (Lênin chamava de idiota útil) que idolatram estes pseudo-artistas e então fica parecendo que sua causa é universal, sacrossanta e intocável.

O truque tem dado certo porque a sociedade brasileira foi emburrecida em décadas de revolução cultural, pela ditadura do politicamente correto e pela idolatria da televisão e do show business. Quando estas pessoas desinformadas se vêem diante de tamanha gritaria na imprensa, pensam que fazem parte de uma desgraçada minoria insensível. Na verdade, a maioria da população precisa trabalhar e pagar os impostos que vão financiar toda essa bandalheira, por isso não tem tempo de participar deste circo que eles chamam de “protesto”. Então sua opinião é reprimida a ponto de parecer inexistente.

A gravidade desta situação vai muito além da Comissão de Direitos Humanos. A tentativa de pressionar, no grito, a renúncia de um deputado até então inocente, eleito por mais de 200.000 pessoas, que chegou onde está seguindo todos os ritos democráticos e constitucionais, trata-se de um ataque à democracia, à Constituição e aos direitos individuais de todos os brasileiros.

Esta nova forma de fazer política passa longe do voto e do embate democrático, está crescendo a cada dia no Brasil, e começa a se transformar num perigo gigantesco. Por isso a permanência de Marco Feliciano, hoje, representa a própria democracia. Espero que ele resista às pressões e não esqueça que a maioria do Brasil deve estar com ele.

Concluindo
Não conheço o pastor Marco Feliciano, não sou evangélico, não concordo com todas as suas opiniões e confesso que não sabia bem quem ele era até que esta onda histérica tomou conta da imprensa. Nada disso, no entanto, muda o que eu escrevi acima.

PS: Não deixem de ler este artigo


.

28 comentários:

Anônimo disse...

Gostei muito dessa post.

Espero sinceramente que muitos a leiam, por isso compartilhei em meu face.

Rodrigo Arraes

MARGARITA disse...

OBA AINDA BEM QUE VOLTOU A POSTAR, GARCIAS

Anônimo disse...

Estude mais meu caro, estude mais! As massas de fato não possuem uma bela inteligência, "se movem numa corrente". Mas é o objeto mais poderoso de um povo contra os abusos daqueles que deveriam ser seus representantes.
Fato, todos tem o direito de expor sua opinião, está na constituição. Mas não podemos abrir a boca sem antes pensar se a opinião não é um Crime de Ódio contra um certo grupo de pessoas.

Renato disse...

Texto perfeito. Ultimamente as chamadas minorias estão tentando impor suas vontades longe do debate democrático. É preciso total liberdade de expressão para existir democracia. Parabéns mais uma vez, amigo blogueiro. Renato

Anônimo disse...

Achei um texto raso.

Uma pena uma pessoa que escreve tão bem não se interar e falar algo do tipo.

Ninguém briga com o Feliciano por ele ser pastor, mas ele ofendeu negros, gays e disse que mulheres que trabalham fora se tornam independentes e viram lésbicas.

Uma pessoa dessas defendendo "minorias" como os negros amaldiçoados por Noé é um absurdo.

Sinto muito se a sociedade não se mexeu em outros casos mas esse me afeta sim e com certeza merece a minha atenção.

Sugiro que se informe mais pois ele não é "inocente" tem vários processos por estelionato.

Todo o complexo dele veio por ter uma mãe que fazia abortos clandestinos como ela mesma já admitiu.

http://exame.abril.com.br/brasil/politica/album-de-fotos/15-tuites-polemicos-do-pastor-e-deputado-marco-feliciano

Aqui estão algumas das gracinhas que ele disse e vc como pessoa branca, hétero e não nordestino não se sentiu ofendido.

Marcelo disse...

Achei um texto raso.

Uma pena uma pessoa que escreve tão bem não se interar e falar algo do tipo.

Ninguém briga com o Feliciano por ele ser pastor, mas ele ofendeu negros, gays e disse que mulheres que trabalham fora se tornam independentes e viram lésbicas.

Uma pessoa dessas defendendo "minorias" como os negros amaldiçoados por Noé é um absurdo.

Sinto muito se a sociedade não se mexeu em outros casos mas esse me afeta sim e com certeza merece a minha atenção.

Sugiro que se informe mais pois ele não é "inocente" tem vários processos por estelionato.

Todo o complexo dele veio por ter uma mãe que fazia abortos clandestinos como ela mesma já admitiu.

http://exame.abril.com.br/brasil/politica/album-de-fotos/15-tuites-polemicos-do-pastor-e-deputado-marco-feliciano

Aqui estão algumas das gracinhas que ele disse e vc como pessoa branca, hétero e não nordestino não se sentiu ofendido.

Ale Costa disse...

Respondendo aos corajosos anônimos que vieram aqui perder o seu tempo para me ofender, sinto informar, mas o trabalho foi em vão: os comentários foram deletados. Simples assim.

Ao outro anônimo que me mandou estudar, ora veja, isso pra mim nunca foi ofensa. Gosto de estudar os assuntos do meu interesse. Sugiro que faça o mesmo. Quem sabe assim você acaba, um dia, entendendo o que lê? Se tivesse entendido, veria que eu não entrei no mérito do que o Feliciano disse ou deixou de dizer. Quanto à sua fala absurda de que não podemos abrir a boca antes de analisar se estamos cometendo algum “crime de ódio”, por favor pense um pouco, sei que é difícil, mas faça ao menos um esforço. Se não é crime o que ele diz, já que você mesmo admite que a Constituição garante esta liberdade, como pode ser crime de ódio? O crime de ódio agora virou uma nova modalidade de crime, que não é realmente criminosa? Quanta bobagem...

Ainda sobre esse anônimo que ordena às pessoas o estudo, mas que pelo jeito não gosta muito de estudar – nem de pensar antes de escrever – se qualquer discordância fosse enquadrada em crime de ódio, eu também poderia considerá-lo criminoso porque discorda da minha opinião? Tenha dó! O deputado Feliciano estaria cometendo um crime de ódio se ele mandasse, pedisse ou sugerisse alguma atitude odiosa contra algum grupo determinado. Isso, até onde eu sei, ele não fez. Sou leigo em direito, mas sei ler, e é mais ou menos isso que diz a Constituição. Para respaldar esta minha opinião eu prefiro usar a credibilidade da nossa maior autoridade na defesa das instituições e proteção à Constituição, Joaquim Barbosa, o Presidente do Supremo Tribunal Federal, maior instância da Justiça brasileira. Nosso presidente disse HOJE:

“O deputado Marco Feliciano foi eleito pelos seus pares. Os deputados assim o fizeram porque está previsto regimentalmente. Agora, a sociedade tem também todo o direito de se exprimir, como vem se exprimindo, contrariamente à presença dele nesse cargo. Isso é democracia”

Ale Costa disse...

O “Marcelo”, que também já tinha escrito sob anonimato (o blog detecta o IP), achou o texto raso, mas não explicou a razão. Talvez fosse profundo se eu concordasse com ele. Para o Marcelo será preciso enumerar alguns pontos:

1 – Mais uma vez, repito, se você ler a postagem direitinho, do começo ao fim, verá que eu disse que o pastor está certo ou errado. Se ainda não entendeu isso, por favor leia de novo.

2 – Ele não disse que os negros eram amaldiçoados, disse que os africanos eram. E a África não é só formada por negros -- Charlize Theron que o diga. Depois, se você ouvir a fala completa e não picotada, verá que ele tratava de uma análise teológica que, na verdade, eu nem concordo. Mas ele tinha esse direito.

3 – Quando você escreve “Sinto muito se a sociedade não se mexeu em outros casos mas esse me afeta sim e com certeza merece a minha atenção” está confirmando o que eu disse e que é o ponto central da postagem. Que moral é essa que se importa mais com o que uma pessoa DIZ ou ESCREVE do que a MORTE de 50.000 pessoas por ano?

4 – Desculpe, mas você está enganado, como diz a Constituição, ele é inocente até que se prove o contrário. Estar sendo processado não muda isso. Enquanto não for condenado, é inocente. Fico curioso: por que você não demonstra a mesma indignação com os deputados que estão no Congresso mesmo após as condenações em ÚLTIMA INSTÂNCIA? Eu, sinceramente, não entendo esta indignação seletiva...

5 – E o que é que esta história da mãe dele fazer aborto tem a ver com o resto que você escreveu? Desculpe, mas aí você viajou na maionese. E não esqueça que a maioria dos que estão gritando contra o Feliciano são favoráveis ao aborto...

6 – Pela última vez, eu disse que não concordo com tudo o que ele disse, mas defendo seu direito de dizer. Seria o mesmo com você, “Marcelo” ou qualquer outro, como já fiz várias vezes aqui no blog (procure sobre a postagem que fiz sobre o extinto blog Dextra). Exatamente por isso me dei ao trabalho de responder detalhadamente o seu comentário.

7 – Finalizando, “Marcelo”, eu sou absolutamente contra toda forma de censura. Ninguém deve ser punido por opinião ou nossa frágil democracia vai pro vinagre muito rapidamente. Delito de opinião que estão tentando implantar no Brasil é muito parecido (na forma, não no conteúdo) ao que fizeram os ditadores Stálin, Mao e Hitler. Se alguém diz algo que você não gosta, diga o mesmo dele. Não é mais fácil e mais pacífico? A humanidade viveu tanto tempo assim...

Ao Renato, Margarita e Rodrigo, que estão sempre por aqui, meus sinceros agradecimentos.

Aos outros que perderam tempo ofendendo sobre um texto que nem sequer entenderam direito, um aviso: se não entendeu, avise, da próxima vez posso desenhar.

Angelo Flavio disse...

Vou compartilhar porque foi o post mais inteligente que achei. Como ja dizia o pai da democracia Voltaire: Não concordo com uma palavra do que dizes, mas defenderei até o ultimo instante seu direito de dizê-la.

Ale Costa disse...

Angelo, obrigado pelo elogio e pela visita. Volte sempre.
Valeu!
Abraços.

Daniel F L disse...

Achei um texto bem escrito e claro.

Parabéns pelo incentivo e coragem de ir contra a correnteza atual.

Daniela Goes disse...

Muito bom comentário! Cansada de incoerências!
Bjs

Antonio Marcos disse...

Compreendo algumas de suas linhas de pensamento, como por exemplo o "boi de piranha".
Mas não acho que simplesmente pelo fato ter sido eleito legitimamente, ou da maioria estar do lado dele, que eu devo ficar quieto no meu canto e decretar a minha passividade e morte política.
Acorda desse conservadorismo, minha gente. Sou contra Genoíno, Maggi, Feliciano, e se vc acha que eles foram eleitos legitimamente e por isso podem fazer qquer droga e
receber em troca da sua passividade, ok, faça isso.
Mas não me obrigue a ser uma múmia política como vc é.
Acho que vc está aliviando muito a barra de um cara muito safado...
Não o conhecia antes né? Pois é, quem é interessado em educação e laicidade do estado conhecia...
http://www.paulopes.com.br/2011/04/deputado-evangelico-apresenta-o-projeto.html#.UWGGnqJaxnM

Ale Costa disse...

Agradeço ao Daniel e à querida Daniela. Quanto ao Antonio Marcos, acho que tudo já foi respondido aqui mesmo nos comentários. Se não conseguir entender me avise, eu desenho pra você.

Onde escrevi que desejo a "sua passividade e a sua morte política"? Você é que prega a morte política de Feliciano, querendo calar a sua voz.

Conservadorismo agora é um mal? Saia do transe, rapaz, e deixe de ser um papagaio que repete palavras de ordem. Rotular o pensamento dos outros baseando-se em palavras-gatilho, além de superficializar a conversa, sempre foi coisa de gente que não tem argumentos e por isso odeia o debate (e eu adoro). É exatamente isso que chamo de pensamento de manada. Leia o que já escrevi sobre essa deturpação da linguagem. A idéia de rotular as pessoas com chavões é totalitária e demonstra baixo nível intelectual.

Onde escrevi que os eleitos podem fazer o que querem? Onde?

Por que você comprara um condenado com um acusado? Se quiser posso indicar um dicionário.

Me chamou de múmia política, mas nada de mostrar sua produção intelectual estupenda e superior... Gostaria de conhecer seu "pensamento político"... Me mande alguma coisa, por favor. Fiquei curioso...

Quanto ao que você chama de "laicidade do estado", antes procure a origem da palavra laico e verá que ela não significa oposto de religioso, pois este termo surgiu para diferenciar entre sacerdotes e fiéis da Igreja Católica. E se uma parte minoritária defende a implantação do kit gay nas escolas, por que seria tão errado a parte que representa a maioria defender o criacionismo? Essa é sua idéia de democracia, concordar com você?

Abraços!

Daniela Goes disse...

A resposta aos comentários estão tão boas quanto o post! ;)
bjs

Anônimo disse...

Antes a minha manada que a dele, queridão.

j.a.mellow disse...

Prefiro pensar, sim, mas não como um anonimo lá em cima que além de não ter coragem de dar o nome acha que opinião tem que ser a politicamente correta.
Quero ter meu direito de não gostar e não querer e até discriminar pessoas!
É um direito meu, não do Estado que tem obrigação de abrigar todos os seus cidadãos de bem. De Bem!
Mas voltando á real: e quando vemos cidad~çaos criminosos que foram efetivamente condenados e que em qualquer país sério já estaria cumprindo pena, estar participando da CCJ, como é o caso do Genoino, João Paulo e ainda de quebra o Maluf?

j.a.mellow disse...

A reação que ví nos comentários vêm corroborar mais ainda com tudo que você disse no texto.
Vejam como o imbecil coletivo logo se manifesta vindo de pessoas as mais esclarecidas.
Vejam o perigo que corremos!
O povo, digo ele em quase toda sua totalidade, aqui no Brasil, realmente não foi educado ao ponto de entender a Democracia!
Nem lhes passa pelas cabecinhas idiotas!

Anônimo disse...

Hi there, just became aware of your blog through Google, and found that it is
truly informative. I'm going to watch out for brussels. I will appreciate if you continue this in future. Many people will be benefited from your writing. Cheers!

Feel free to visit my page: Xfire - Gaming Simplified

Miriam disse...

Não penso que a reação em massa que está havendo venha imposta de partidos ou mídias, é algo do inconsciente coletivo, num determinado momento onde a sensibilidade está a flor da pele e as antigas formas de ver o mundo, com racismo, homofobia e descriminação estão sendo transformadas. A recusa quanto à atitudes do parlamentar é que estão sendo colocads em discussão, não as do pastor, pq como um presidente de uma comissão de direitos humanos, ele jamais poderia estar lá com estas crenças. Realmente o foco está muito em cima deste caso, mas tudo tem um porque, e uma das coisas positivas neste momento é que muito "crente" está abrindo o olho e recebendo muita informação que de outra forma não tinham, fechados em seus pequenos ciclos de lavagens cerebrais que costumam ocorrer. E olhe que já não são poucos neste Brasil! o tempo vai revelar mais claramente todas estas questões que agora estão em cima demais da nossa vista para que possamos enxergar claramente...

Anônimo disse...

Ok. Todos tem direito de falar bobagens. A constituição garante. Massss, comissão de Direitos humanos é para pessoas inteligentes, que se posicionam corretamente na Sociedade e no que tem que defender: os ignorantes, os idiotas e os mal intencionados que atacam as minorias e provocam violência com sua estupidez.

Husnt Silva disse...

A partir do "Concluindo", você tirou as palavras da minha boca.

Ale Costa disse...

Olha a democracia desse cidadão:
"...comissão de Direitos humanos é para pessoas inteligentes, que se posicionam corretamente na Sociedade e no que tem que defender: os ignorantes, os idiotas e os mal intencionados que atacam as minorias e provocam violência..."
4 perguntinhas para o democrata de plantão:
1) Inteligente é quem concorda com você?
2) Só se posiciona corretamente quem concorda com você?
3) Idiotas e ignorantes são aqueles que discordam de você?
4) Onde está a prova de que ele provoca violência?

Respondendo à Miriam, o que você chama de inconsciente coletivo, eu chamo de pensamento de manada... Um bando de gente desinformada, que detesta a democracia e a liberdade de expressão. Como não sai da frente da TV, vai seguindo as idéias sagradas das "celebridades"...

O resto está explicado no texto ou nas próprias respostas aos comentários anteriores.

Obrigado pelos comentários e pelos elogios. Husnt Silva, seja bem-vindo!
Abraços!

O Comediante disse...

Marco Feliciano justamente é o que o autor descreve um boi de piranha, pois os acontecimentos nos bastidores do poder, podem mudar a mentalidade das pessoas, se alguém com capacidade de influenciar a massa, leva-las ao pensamento produtivo, aguçar na multidão o inconformismo que deveria ser natural do ser humano, uma vez que fomos informados pelo emissário Shaul que não devemos nos conformar com esse mundo, mas sim transforma-lo. Deste modo, o cenário que foi montando é na verdade uma isca para pegar os menos pensantes aqueles que se comovem com ideias vazias, pois no meu modo de pensar Feliciano só esta errado em defender uma religião que explorar a fé alheia, que usa o nome de um deus, que nem se sabe o nome para angariar dinheiro. Desprezo tudo que vem do cristianismo, pois suas raizes são tão obscuras e pagãs, que se fosse reveladas todos os fiéis entendessem seus rudimentos, se tornariam ateus no mesmo momento. Por trás de tudo existe interesses de uma elite que mudou a história, e vem a reescrevendo a sua maneira, a fim de alcançar o objetivo de controle global, de manter uma massa escravizada. Infelizmente poucas pessoas estão despertas e entendem o que existe por trás da cortina, pois estão muito ocupadas com suas vidinhas, em comprar as novidades do mercado, em mostrar que podem ser melhor que seu vizinho e amigos. Sendo assim caminhamos para um abismo que a cada dia se aproxima mais e mais.

Alice Freire disse...

texto extramamente claro e inteligente!
Me lembro a opinião da Rachel sherazade.

Alice Freire disse...

texto extramamente claro e inteligente!
Me lembro a opinião da Rachel sherazade.

Ale Costa disse...

Alice, Husnt, Margarita, Renato: obrigado!

Ale Costa disse...

Só mesmo com o nome de Comediante para dizer que as raízes do cristianismo são obscuras... Se você não conhece estas raízes, isso não significa que sejam obscuras, significa que você desconhece a História. Existem alguns milhares de documentos que mapeiam a origem do cristianismo. Só do primeiro século são 103.

Pelo que entendi, existem poucas pessoas "despertas", que sabem de toda história e conhecem o que está por trás da cortina. Você, pelo jeito, é uma delas. Por isso seria interessante que você colocasse todo esse conhecimento em um livro e nos brindasse com sua sabedoria. Eu seria o primeiro leitor.

Só pra finalizar: seu comentário prova que você não conhece patavinas da história do cristianismo. Diz que ele serve para escravizar e controlar... Se tivesse lido o mínimo necessário para opinar com bases sólidas, não diria esta bobagem. Saberia por exemplo que os cristãos foram perseguidos por 4 séculos, saberia que todos os tiranos da História atacaram os ideais cristãos, saberia que só no século XX cerca de 100 milhões de cristãos foram mortos por defenderem sua fé. Jesus Cristo diz que ninguém deve ser idolatrado, o que destrói qualquer pretensão de "controle"; diz Ele também que ninguém é melhor que ninguém, que todos são iguais perante Deus e que Seu Reino não é deste mundo.

Por favor, estude antes de opinar. A não ser, é claro, que queira dar aos seus comentários o tom de comédia involuntária, como o seu apelido sugere.

De qualquer forma, obrigado pelo comentário e volte sempre.
Abraços,
Ale.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...