18 de jun de 2018

O Clube de Bilderberg - Parte 1

Hotel Bilderberg, em Oosterbeek - Holanda


No início da década de 1950 um político polonês chamado Józef Retinger convenceu o Príncipe Bernardo de Lippe-Biesterfeld a criar um grupo de discussão estratégica com o objetivo de unificar projetos e amenizar tensões dentro da “comunidade do Atlântico”. Retinger era um aristocrata com passagem pela inteligência britânica e foi um dos fundadores do Movimento Europeu, gênese da União Européia.  Devido à credibilidade e enorme rede de contatos dos dois, poucos anos depois, em maio de 1954, o então Príncipe Consorte dos Países Baixos presidiu o primeiro encontro, que aconteceu em Oosterbeek, na Holanda, no Hotel Bilderberg, que deu nome ao clube. Nesta primeira conferência estiveram presentes 50 pessoas de 11 países da Europa Ocidental e 11 norte-americanos, entre eles David Rockefeller, que foi incumbido de preparar um documento de base sobre as perspectivas para a economia mundial do ponto de vista dos EUA. Hugh Gaitskell, líder do Partido Trabalhista inglês, ficou responsável pela visão europeia.

Jim Tucker (1934 - 2013)


Desde então as reuniões tornaram-se anuais, com exceção do período de 1954-1959, quando ocorreram oito eventos (dois em 1955 e dois em 1957). Durante muito tempo as reuniões permaneceram na sombra, e era negada inclusive a sua existência. Em meados da década de 1970 um jornalista de Washington começou a investigar aqueles encontros que reuniam a elite política, das finanças e da mídia. Como era de se esperar, Jim Tucker, autor de Bilderberg Diary, foi chamado de teórico da conspiração e lunático, mas devido à sua insistência no final do século XX outros jornalistas e pesquisadores começaram a perceber que algo de muito estranho deveria estar acontecendo para que uma reunião com tantas celebridades fosse desprezada por praticamente todos os veículos de comunicação. Um desses novos curiosos foi Daniel Estulin, um russo cuja família foi exilada da antiga União Soviética, que passou a rastrear os passos dos Bilderberg junto com Tucker e outros menos famosos. Pouco tempo depois o livro “A verdadeira história do Clube Bilderberg” de Estulin, jogaria luz sobre o assunto e mudaria até mesmo a postura do grupo, que diante da polêmica gerada passou de secreto para discreto.

Continua...

15 de jun de 2018

Boa Copa!



Há anos fui perdendo o interesse pelo futebol, mas isso não foi uma decisão racional ou planejada. Muito menos ideológica ou política. Embora as maracutaias, a idolatria e o comércio exagerado possam ter contribuído, creio que novos interesses e a dureza da realidade foram mais decisivos.
Mesmo sem paciência para acompanhar um jogo inteiro, continuo gostando do esporte, das rivalidades e até me divirto com as piadas da segunda-feira. Além de ainda apreciar jogadas incríveis e gols antológicos, outra coisa permanece: o prazer de conhecer uma boa história de um boleiro.

“Estava muito difícil fazer gol. Poucas vezes vi um jogo disputado com tanta seriedade e respeito mútuos. Mas houve um espetáculo à parte. Mané Garrincha foi o comandante. Dirigiu os cem mil espectadores, fazendo reagirem à medida de suas jogadas. Foi ali, naquele dia que surgiu a gíria do “Olé”, tão comumente utilizada posteriormente em nossos campos. Não porque o Botafogo tivesse dado Olé no River. Não. Foi um “Olé” pessoal.  De Garrincha em Vairo.
Nunca assisti a coisa igual. Só a torcida mexicana com seu traquejo de touradas poderia, de forma tão sincronizada e perfeita, dar um "Olé" daquele tamanho. Toda vez que Mané parava na frente de Vairo, os espectadores mantinham-se no mais profundo silêncio. Quando Mané dava aquele seu famoso drible e deixava Vairo no chão, um coro de cem mil pessoas exclamava: "Ô ô ô ô ô-lê"! O som do "olê" mexicano é diferente do nosso. O deles é o típico das touradas. Começa com um ô prolongado, em tom bem grave, parecendo um vento forte, em crescendo, e termina com a sílaba "lê" dita de forma rápida. Aqui é ao contrário: acentua-se mais o final "lé": "Olééé!" – sem separar, com nitidez, as sílabas em tom aberto.
Verdadeira festa. Num dos momentos em que Vairo estava parado em frente a Garrincha, um dos clarins dos "mariaches" atacou aquele trecho da Carmem que é tocado na abertura das touradas. Quase veio abaixo o Estádio Universitário.
(...)
O jogo terminou empatado. Vairo não foi até o fim. Minella tirou-o do campo, bem perto de nós no banco vizinho. Vairo saiu rindo e exclamando: "No hay nada que hacer. Imposible" – e dirigindo-se ao suplente que entrava, gozou:
– Buena suerte muchacho. Pero antes, te aconsejo que escribas algo a tu mamá.”

João Saldanha, no livro Histórias do Futebol, que eu ganhei do meu irmão.

Boa Copa para todos, até mesmo para os chatos que preferem outra forma de alienação.

7 de mai de 2018

Nova Ordem Mundial no You Tube



Para um escritor não há nada mais satisfatório do que encontrar leitores atentos que valorizam o seu trabalho. No meu caso a satisfação é ainda maior, pois a intenção era exatamente disseminar informações sobre Nova Ordem Mundial. Inclusive no final do livro deixei este recado:

"O intuito deste trabalho, que encaro como missão e já foi repetidamente informado, é despertar a curiosidade pelos assuntos políticos relevantes e fornecer subsídios para o início de um estudo que só se transforma em conhecimento quando aprofundado por vontade do estudante. Por estas razões a disseminação deste conteúdo será uma grande vitória para o autor e está autorizada desde que identificada a fonte e sem qualquer alteração em seu conteúdo."

Aqui você encontra alguns dos vídeos que eu encontrei recentemente sobre o livro "Introdução à Nova Ordem Mundial" feitos por leitores. Neste mesmo blog existem outros. Além de esmiuçar o livro, estes vídeos apresentam informações relevantes para quem estuda NOM, Governo Mundial, globalismo, totalitarismo etc. Graças a Deus são muitos vídeos espalhados no You Tube, Dailymotion, Facebook, Twitter e outras plataformas. Aos poucos pretendo incluir todos. Caso você saiba de mais algum, por favor informe no comentário. 




Maurício Ribeiro



Danilo Veríssimo



Augusto Almeida



Daniel Ferraz



Junior Sickknt


Aproveite e inscreva-se no meu Canal no You Tube:  

Estou tentando reunir mais vídeos sobre meus livros, minhas palestras, entrevistas, hangouts e outros conteúdos relacionados ao tema. E se você tem interesse no assunto, ajude a divulgar. Desde já agradeço.

Página do livro Nova Ordem Mundial no Facebook:


Grupo sobre N.O.M.


Em breve lançarei outro livro sobre Nova Ordem Mundial. Desta vez o foco é o Brasil.

5 de abr de 2018

Mestre Ângelo Monteiro


“Não sabemos até que ponto a palavra pode dar conta dos mistérios que nos cercam, presentes não só na fé mas na vida e na arte. Como poderíamos literalmente descrevê-los sem diminuí-los, em vez de concebê-los sob maior claridade? Por isso devemos fazer todo o possível para evitar que a palavra, em sua literalidade, deixe de ser instrumento de revelação, e se reduza a um indicador imediatista da realidade, como se a conhecêssemos por inteiro, e os seus mistérios não se constituíssem em alimentos incorporados a nós mesmos e convertidos em nossa verdadeira identidade.” - Ângelo Monteiro.

#bemvindoaohospicio 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...