A Privataria Tucana


Passei as duas últimas noites lendo A Privataria Tucana, do jornalista Amaury Ribeiro Jr. O livro é bem interessante e conta muitos detalhes das privatizações ocorridas durante o governo FHC. Como na época eu era um dos mais ferrenhos críticos do governo do PSDB, já conhecia algumas daquelas maracutaias, e desconfiava de outras. 

O jornalista demonstra talento narrativo e apresenta muitos fatos e documentos, o que fez do livro uma aventura bem agradável e até emocionante. 

Nunca fui contra as privatizações porque acredito que governo deve se dedicar exclusivamente à segurança, saúde e educação – nesta ordem de importância -, no entanto, discordei na época e continuo discordando da maneira como foi feita a venda do patrimônio público acumulado por décadas, que transformou monopólio estatal em monopólio privado. Sempre achei evidente que muita gente enriqueceu com toda aquela história. Lembro bem que vazaram ligações telefônicas – inclusive do presidente – que sugeriam picaretagens ainda maiores. Pois bem, o livro do tal Amauri mostra muitas destas outras coisas que eu apenas desconfiava.

Além desse foco nas privatizações, o livro aborda também brigas internas nos dois partidos (PT e PSDB), com ramificações em estatais, órgãos públicos e de imprensa, além de fazer uma boa descrição de como funciona a lavagem de dinheiro da corrupção brasileira, certamente uma das maiores do mundo. Nem a CBF de Ricardo Teixeira ficou de fora!

O que existe de mais interessante no livro, a meu ver, são as narrações dos fatos por trás das campanhas eleitorais, tanto de um lado quanto de outro. O “fogo amigo”, os dossiês, os vazamentos e as brigas internas de Aécio e Serra, no PSDB, e de Rui Falcão, Antonio Palocci e Fernando Pimentel, no PT constituem o ponto alto do livro. 

Acontece que este livro pode vir a confirmar a expressão “sujo falando do mal lavado”. O autor, pelo que sei, foi indiciado pela Polícia Federal por “crimes de violação de sigilo fiscal, corrupção ativa, uso de documentos falsos e por dar ou oferecer dinheiro ou vantagem à testemunha” e tem o apoio irrestrito de toda imprensa petista, que se espalha em todos grandes veículos da mídia eletrônica e impressa, e pelos blogs “independentes” que são financiados por dinheiro público. Isso me faz repetir a pergunta de sempre: “Cui Bono?

Resumindo, o livro é bom e deve ser lido, como todos os documentos políticos, com ressalvas, já que o autor é parte interessada e, como ele mesmo diz, personagem da história. 

Last but not least, o livro confirma o que venho afirmando há alguns anos: a podridão existente na relação entre o poder e a imprensa no Brasil fez desta última nada mais que um garoto de recados.
.

Feliz Natal!

Adoração dos Pastores  - Gerard Van Honthorst (1590–1656) 

Não há data mais adequada para uma reflexão, já que o aniversário de Jesus Cristo é o nascimento ritualístico do Logos Divino, e isso “energiza” e potencializa as inteligências.

Feliz Natal!

Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, 
porque achaste graça diante de Deus.

E eis que em teu ventre conceberás
e darás à luz um filho,
e por-lhe-ás o nome de Jesus.

Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo;
e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai;

E reinará eternamente na casa de Jacó,
e o seu reino não terá fim.

(Lucas 1:30-33)
.

O Efeito Mozart





"Pesquisas comprovam que
ouvir certas músicas de Mozart
ativa os neurônios e
melhora a inteligência"



O Efeito Mozart é um termo usado para fazer referência aos poderes de transformação da música na saúde, educação e bem-estar. Representa, de uma maneira genérica, o uso da música para reduzir o estresse, a depressão e a ansiedade; induzir o relaxamento e o sono; restaurar o corpo; melhorar a memória e o estado de alerta.

A pesquisa com a música de Mozart começou na França nos idos de 1950, época em que o Dr.Alfred Tomatis iniciou as suas experiências de estimulação auditiva em crianças com problemas de audição e comunicação. Nessa época já havia muitos centros de pesquisas espalhados pelo mundo todo que usavam as músicas de alta freqüência de Mozart, especialmente os concertos para violino e as sinfonias, para ajudar crianças com dislexia, problemas de fala e autismo. A Universidade da Califórnia, Irvine, começou suas experiências nessa área em 1950, relacionando a música do compositor com a inteligência espacial. Em 2001 os ingleses começaram a estudar o efeito das obras nos epiléticos.

O Dr.Tomatis descobriu que ela acalmava e melhorava a percepção espacial e permitia que o ouvinte se expressasse com maior clareza, comunicando-se com o coração e a mente. O ritmo, a melodia, a excelência de execução e as altas freqüências da música de Mozart claramente estimulavam e impregnavam as áreas criativa e motivacional do cérebro. Mas talvez o segredo da sua magnitude seja porque ela soa pura e simples. Mozart não tece uma tapeçaria deslumbrante como o grande gênio matemático de Bach. Não provoca ondas de emoções como o epicamente torturado Beethoven. Sua obra não tem a rígida simplicidade de um Canto Gregoriano. Não acalma o corpo como uma boa música folclórica, nem atira em movimento como um astro de rock. Ele é, ao mesmo tempo, profundamente misterioso e acessível e, acima de tudo, destituído de malícia. Daí a sua aura de Eterna Criança. Sua graça, seu encanto e sua simplicidade nos permitem divisar uma sabedoria mais profunda dentro de nós.

A expressão estrutural e emocional ajuda a esclarecer a percepção tempo/espaço. A estrutura do rondó e da sonata-allegro constitui a forma básica na qual o cérebro torna-se familiar com o desenvolvimento das idéias.

O ouvido começa a se desenvolver na 10ª semana da gestação de um bebê e é funcional aos 4 meses e meio (da gestação). Ele é essencial para o equilíbrio, a linguagem, a expressão e a orientação espacial. Sendo uma antena receptora, vibra em uníssono com a fonte de som, quer esta seja musical ou lingüística. O corpo se contrai quando tenta se proteger de sons irritantes ou desagradáveis e relaxa com sons harmoniosos. Por intermédio da medula, o nervo auditivo se conecta com todos os músculos do corpo, explorando o repertório inerente de padrões de estímulo espaço-temporal do córtex. A música complexa facilita determinados padrões neurais envolvidos em atividades superiores, como a matemática e o xadrez. Em contrapartida, a música simples e repetitiva poderá ter o efeito contrário.

Som é o campo vibracional que forma a linguagem, a música e até o silêncio. Quando ele está organizado nós nos comunicamos por palavras, idéias, sentimentos e expressões. Por outro lado, quando ele está desorganizado é criado o barulho. O som chega ao nosso cérebro e ao nosso corpo através da pele, ossos e ouvidos, mesmo que a pessoa esteja em estado de coma. É claro que cada pessoa escuta de uma forma diferente, reagindo de uma maneira diferente ao som e ao barulho. Quando ritmo, melodia e harmonia estão organizados em uma bela forma, mente, corpo, espírito e emoções se harmonizam.
...
Continue lendo este texto maravilhoso da Elza de Moraes Fernandes Costa (elza-costa@uol.com.br): http://escoladevioloes.com/se/2009/10/496
.

Aqui é o meu lugar!

Pensando um pouco sobre os fatos narrados na postagem anterior, tomei a decisão de não perder mais o meu tempo com discussões em blogs alheios, no Facebook ou por e-mails. De agora em diante vou concentrar meus parcos recursos aqui no Ordem Natural, de maneira a prestigiar meus leitores, que são em número muito maior do que mereço.

Desde o começo deste blog, nunca foi minha intenção abordar assuntos polêmicos para com isso conquistar mais leitores. Se algumas vezes abordei temas inflamáveis como islamismo radical, movimento homossexual, revolução cultural e o emburrecimento coletivo contemporâneo, não foi para polemizar, foi apenas para tentar dar mais visibilidade a assuntos faltantes na grande imprensa e, portanto, fora dos debates nacionais, já que no Brasil as pessoas só sabem se informar pela imprensa.

Na questão do Cristianismo, no entanto, as coisas são diferentes. Além da defesa dos valores morais que criaram e sustentam a civilização ocidental, considero missão pessoal combater aqueles que por meio de uma engenharia social meticulosa e extremamente maligna, estão levando a população mundial ao ateísmo para, num futuro próximo, implantar algo ainda pior (voltarei a esse assunto em breve).

Desta forma, pretendo reduzir o campo de batalha e dar mais atenção aos meus leitores, responder seus comentários e suas dúvidas.
.

Pelo direito de ser idiota

Quem será o anônimo?

O Dextra foi removido. O blog que traduzia textos interessantes e inéditos no Brasil foi retirado do ar pelo Google, provavelmente devido a reclamações politicamente corretas. Seus principais temas incomodavam muita gente: racialismo, revolução cultural e islamismo. 

Nas últimas semanas eu comecei uma discussão com o anônimo editor do Dextra, devido a uma postagem que atacava gratuitamente o Cristianismo. Quem me conhece ou freqüenta este blog sabe que esse é o principal motivo de muitas discussões que tenho na Internet e fora dela. 

Suas ofensas infantis não traziam nada de novo, apenas repetiam os argumentos já refutados de Marx, Gramsci, Lênin, Lukács, Stálin, Richard Dawkins e até Saul Alinsky.

Resumindo, o Dextra, que se acha conservador, se mostrou incapaz de perceber a dimensão espiritual da revolução, e ingênuo ao usar o argumento, a arma e o escudo do inimigo, assim como vários outros idiotas pretensamente conservadores fazem diariamente em dezenas de blogs. Se tivessem lido um pouco o que escreveram os planejadores deste estado de coisas, saberiam que são apenas idiotas úteis em um estágio um pouco mais elevado que os esquerdistas convictos.

A discussão, de fato, nem chegou a acontecer, já que o Dextra deletou meus três comentários antes de publicá-los. Ele fingiu não ter ouvido as perguntas que fiz e postou bobagens histéricas, evidenciando não apenas sequer ter lido a Bíblia, mas também uma imaturidade sem limites a ponto de escrever sobre algo que desconhece completamente... 

Na semana seguinte o babaca fez uma postagem com frases para serem usadas em ofensas contra adolescentes gordas... Daí em diante percebi que estava lidando com um idiotinha e desisti, mas antes o desafiei a debater o assunto Cristianismo comigo - sem resposta, evidentemente. 

Pensando bem, já deveria ter percebido a "mente" desse boboca quando ele começou a atacar o Reinaldo Azevedo, da Veja, gratuitamente. Como ele esperava uma briga pública com o blog mais lido do Brasil e ela não aconteceu porque o Reinaldo o desprezou, ele passou a procurar outros assuntos mais inflamáveis. Deixou as traduções, suas melhores contribuições, e passou a dar suas opiniões vazias, repletas de clichês, além de confundir racialismo com racismo. Como é muito covarde, esconde-se atrás do anonimato e se diz um mulato nordestino, imagino esse cara como aquele negro com camiseta nazista que aparece quando você digita estúpido no Google Imagens.

Quando conheci o Dextra ele tinha 6 ou 7 seguidores, coloquei um link aqui no blog e logo reparei que pelo menos uns 10 dos meus leitores entraram lá também. Foi só começar a falar mal do Cristianismo e ele passou a ter os mesmos parcos leitores novamente, ou seja, a polêmica desnecessária quase nunca funciona.

Escrevi tudo isso para demonstrar como o editor do blog Dextra, o tal Fulano, é apenas mais um idiota que ataca o Cristianismo apenas para “estar na moda”. Discordo completamente, no entanto, da censura que ele sofreu do Google, afinal de contas nossa Constituição garante a liberdade de expressão e ele tem todo o direito de ser mais um idiota.
.

Para um domingo celestial


Thomas Tallis (1505-1585) naceu em Greenwitch e foi chamado o Compositor das Catedrais. Vivendo em um período tumultuado do Cristianismo, seu talento foi requisitado por protestantes e católicos. Um gênio da música - esquecido em nossos dias de trevas -, cuja obra imensa nos faz sentir a atmosfera de uma catedral medieval. Spem in Alium, sua composição mais famosa, foi composta em 1570. Em breve colocarei mais coisas dele aqui...
.

Pastor é condenado à morte no Irã

O pastor Youcef Nadarkhani e seus filhos
Um pastor que se converteu do islamismo para o cristianismo foi condenado à pena de morte no Irã por recusar voltar à sua antiga religião. As informações são do jornal britânico “Daily Mail“.

Youcef Nadarkhani, 34, se recusou a cumprir uma ordem judicial que o obrigava a se converter novamente ao islamismo. A sentença foi proferida por uma corte na província de Gilan, na cidade de Rasht.

O pastor foi detido em outubro de 2009 quando tentava registrar sua igreja na cidade. Youcef começou a questionar a supremacia dos muçulmanos para doutrinar as crianças, e acabou acusado de tentar “evangelizar” muçulmanos e de abandonar o islamismo, o que pode levar à pena de morte no país.

Sua primeira condenação aconteceu em 2010, mas a Suprema Corte do Irã interveio e conseguiu adiar a sentença. Ao ser revisto, o processo resultou na mesma condenação ao fim do sexto dia de audiência, nesta quinta-feira.

No tribunal, o pastor disse que não tinha intenção de voltar ao islamismo, chamando sua crença anterior de “blasfêmia”.

Agora, a defesa de Youcef tentará novamente recorre à Suprema Corte, pedindo a anulação da pena. O advogado de Youcef, Mohammed Ali Dadkhah acredita que tem 95% de chance de anular a sentença.  No entanto, alguns apoiadores temem que a Suprema Corte demore para analisar o pedido e o pastor seja executado nos próximos dias.

O ministro de Relações Exteriores britânico, William Hague, comentou o caso e pediu que o Irã cancele a sentença. ”Eu repudio o fato de que Youcef Nadarkhani, um líder cristão, possa ser executado por se recusar a cumprir a ordem da Suprema Corte para que ele se convertesse ao islamismo. Isso demonstra que o regime iraniano continua não respeitando o direito à liberdade religiosa”.

O último cristão executado por questões religiosas no Irã foi o pastor da Assembleia de Deus, Hossein Soodmand, em 1990. No entanto, dezenas de iranianos que se converteram ao cristianismo foram misteriosamente assassinados nos últimos anos.

.

Princípios de uma política conservadora

Olavo de Carvalho
Estes princípios não são regras a ser seguidas na política prática. São um conjunto de critérios de reconhecimento para você distinguir, quando ouve um político, se está diante de um conservador, de um revolucionário ou de um "liberal", no sentido brasileiro do termo hoje em dia (uma indecisa mistura dos dois anteriores).

1)   Ninguém é dono do futuro. "O futuro pertence a nós" é um verso do hino da Juventude Hitlerista. É a essência da mentalidade revolucionária. Um conservador fala em nome da experiência passada acumulada no presente. O revolucionário fala em nome de um futuro hipotético cuja autoridade de tribunal de última instância ele acredita representar no presente, mesmo quando nada sabe desse futuro e não consegue descrevê-lo se não por meio de louvores genéricos a algo que ele não tem a menor ideia do que seja.

Quando o ex-presidente Lula dizia "não sabemos qual tipo de socialismo queremos", ele presumia saber : (a)   que o socialismo é o futuro brilhante e inevitável da História, quando a experiência nos mostra que é na verdade um passado sangrento com um legado de mais de cem milhões de mortos; (b) que ele e seus cúmplices têm o direito de nos conduzir a uma repetição dessa experiência, sem outra garantia de que ela será menos mortífera do que a anterior exceto a promessa verbal saída da boca de alguém que, ao mesmo tempo, confessa não saber para onde nos leva.

A mentalidade revolucionária é uma mistura de presunção psicótica e de irresponsabilidade criminosa.

2)   Cada geração tem o direito de escolher o que lhe convém. Isto implica que nenhuma geração tem o direito de comprometer as subsequentes em escolhas drásticas cujos efeitos quase certamente maléficos não poderão ser revertidos jamais ou só poderão sê-lo mediante o sacrifício de muitas gerações. O povo tem, por definição, o direito de experimentar e de aprender com a experiência, mas, por isso mesmo, não tem o direito de usar seus filhos e netos como cobaias de experiências temerárias.

3)     Nenhum governo tem o direito de fazer algo que o governo seguinte não possa desfazer. É um corolário incontornável do princípio anterior. As eleições periódicas não fariam o menor sentido se cada governo eleito não tivesse o direito e a possibilidade de corrigir os erros dos governos anteriores. A democracia é, portanto, essencialmente hostil  a qualquer projeto de mudança profunda e irreversível da ordem social, por pior que esta seja em determinado momento.

Nenhuma ordem social gerada pelo decurso dos séculos é tão ruim quanto uma nova ordem imposta por uma elite iluminada que se crê, sem razão, detentora do único futuro desejável. No curso dos três últimos séculos não houve um só experimento revolucionário que não resultasse em destruição, morticínio, guerras e miséria generalizada. Não se vê como os experimentos futuros possam ser diferentes.

4)   Nenhuma proposta revolucionária é digna de ser debatida como alternativa respeitável num quadro político democrático. A revogabilidade das medidas de governo é um princípio incontornável da democracia, e toda proposta revolucionária, por definição, nega esse princípio pela base. É impossível colocar em prática qualquer proposta revolucionária sem a concentração do poder e sem a exclusão, ostensiva ou camuflada, de toda proposta alternativa. Não se pode discutir alternativas com base na proibição de alternativas.

5)  A democracia é o oposto da política revolucionária. A democracia é o governo das tentativas experimentais, sempre revogáveis e de curto prazo. A proposta revolucionária é necessariamente irreversível e de longo prazo. A rigor, toda proposta revolucionária visa a transformar, não somente uma sociedade em particular, mas a Terra inteira e a própria natureza humana.

É impossível discutir democraticamente com alguém que não respeita sequer a natureza do interlocutor, vendo nela somente a matéria provisória da humanidade futura. É estúpido acreditar que comunistas, socialistas, fascistas, eurasianos e tutti quanti possam integrar-se pacificamente na convivência democrática com facções políticas infinitamente menos ambiciosas. Será sempre a convivência democrática do lobo com o cordeiro.

6)  A total erradicação da mentalidade revolucionária é a condição essencial para a sobrevivência da liberdade no mundo. A mentalidade revolucionária não é um traço permanente da natureza humana. Teve uma origem histórica – por volta do século 18 – e terá quase certamente um fim. O período do seu apogeu, o século 20, foi o mais violento, o mais homicida de toda a História humana, superando, em número de vítimas inocentes, todas as guerras, epidemias, terremotos e catástrofes naturais observadas desde o início dos tempos.

Não há exagero nenhum em dizer que a mentalidade revolucionária é o maior flagelo que já se abateu sobre a humanidade. É uma questão de números e não de opinião. Recusar-se a enxergar isso é ser um monstro de insensibilidade. Toda política que não se volte à completa erradicação da mentalidade revolucionária, da maneira mais candente e explícita possível, é uma desconversa criminosa e inaceitável, por mais que adorne sua omissão com belos pretextos democráticos, libertários, religiosos, moralísticos, igualitários, etc.
          
          
Olavo de Carvalho é ensaísta, jornalista e professor de Filosofia
http://www.dcomercio.com.br/index.php/opiniao/sub-menu-opiniao/68268-principios-de-uma-politica-conservadora
.

O Leviatã II – O óbvio ululante

"Awakening Leviathan" - Richard Sardinha

Não conheço uma só pessoa que, em sã consciência e sem interesses particulares, prefira o serviço público ao privado. Você não deve estar surpreso com essas afirmações: com raríssimas exceções, os serviços oferecidos pelo Estado brasileiro são deploráveis. 

Hospitais matam pessoas, bandidos fogem das cadeias e escolas emburrecem crianças diariamente, e isso não é uma figura de linguagem: só neste mês de setembro recolhi dezenas de exemplos que comprovam incompetência do Estado em TODAS as áreas. 

Saúde:
No mês em que o Governo, com apoio da imprensa, voltou a pressionar pela volta da CPMF, medicamentos estragaram nos depósitos; equipamentos enferrujaram nas caixas; paciente morreu após 8 horas em ambulância; criança teve a perna amputada por engano. 

Segurança:
Se existisse um Nobel de Criminalidade, seria do Brasil:  55.000 homicídios por ano; menos de 15% dos homicídios solucionados; e todos os dias – sim todos os 365 dias do ano – presos fogem das cadeias nesta terra da paz e da boa vontade.

Educação:
Desde antes do fim do Regime Militar a influência da ONU e de outros organismos internacionais vêm destruindo um sistema educacional que, se não era o melhor do mundo, estava longe dos piores. Com os governos Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma as coisas pioraram enormemente. 

Idéias estúpidas como aprovação automática, a ideologização, o nível abissal do conteúdo pedagógico e o despreparo dos profissionais (de professores a ministros) fez da burrice uma conquista da nossa nação. 

Um dado que comprova que estamos emburrecendo alunos com muito êxito: testes internacionais garantem que as crianças brasileiras estão entre as mais inteligentes do mundo. Já os nossos universitários estão entre os últimos, disputando, cabeça-a-cabeça, com Serra Leoa, Zambia, Zaire e outros tradicionais redutos intelectuais...

Depois dos livros de geografia com dois estados do Piauí, dos erros de concordância em um livro de português, erros de soma em um livro de matemática e de um ministro da educação que fala “cabeçário” e é tido como intelectual pela imprensa, você queria o quê?

Me empolguei com esta postagem (rs). Ouvi mais uma grande bobagem sobre "Estado Forte" agora há pouco. Era para escrever 4 ou 5 linhas, já que vivendo no Brasil até um macaco pode perceber a incompetência do Estado. 

Resta a pergunta que não quer calar: por que insistimos em deixar essa besta ainda maior e mais poderosa?

.

Bom dia!

Mateus 24

E, quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele os seus discípulos para lhe mostrarem a estrutura do templo.

Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada.

E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane;

Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.

E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.

Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.

Mas todas estas coisas são o princípio de dores.

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.

Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.

E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.

E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.

Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.

E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.

Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda;

Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes;

E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa;

E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes.

Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias!

E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;

Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.

E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.

Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito;

Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.

Eis que eu vo-lo tenho predito.

Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais. Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis.

Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem.

Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias.

E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.

Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.

E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.

Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.

Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.

Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam.

O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.

Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.

E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.

Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,

E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.

Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro;

Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra.

Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.

Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.

Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.

Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo?

Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim.

Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens.

Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá;

E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios,

Virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe,

E separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes.
.

A natureza do inteligir

O mais santo dos sábios e mais sábio dos santos

O intelecto de uma certa forma é próprio da alma, e de uma outra certa forma é conjunto com o corpo.

Existem operações da alma que necessitam do corpo como instrumento e como objeto. Por exemplo: ver necessita do corpo como objeto, porque a cor, que é objeto da visão, está no corpo. Ver também necessita do corpo como instrumento, porque a visão, apesar de ser pela alma, não se dá, todavia, senão pelo órgão da vista, que é o seu instrumento. Desta maneira, ver não é somente da alma, mas também do órgão.
 
Existem outras operações da alma que necessitam do corpo, não todavia como instrumento, mas apenas como objeto. Assim, o inteligir não é pelo órgão corporal, mas necessita do objeto corporal. Os fantasmas, de fato, se acham para com o intelecto assim como as cores para com a visão. Ora, as cores se acham para com a visão como objetos. Portanto, os fantasmas se acharão para com o intelecto como objetos. Daí que, não existindo os fantasmas sem o corpo, fica patente que o inteligir não se dá sem o corpo. Mas isto como objeto, não como instrumento.
 
A primeira conclusão que se segue é que o inteligir é uma operação própria da alma, e não necessita do corpo exceto apenas como objeto. Ver e as demais operações e paixões da alma não são apenas da alma, mas conjuntas.
 
A segunda conclusão que se segue é que como o que apresenta operação per se também apresenta ser e subsistência per se, e aquilo que não tem operação per se não apresenta ser [e, subsistência] per se, por conseguinte
 
  • A. O intelecto é forma subsistente
  • B. As demais potências são formas em matéria

Santo Tomás de Aquino - Comentários a Aristóteles

.

Sobre o mundo inteligível


Todas as artes provêm de alguma sabedoria, primordial ou natural, que cresce do uno para o múltiplo. As formas ali são de igual dignidade e são paradigmas. Os sábios do Egipto já conheciam essas formas correctamente, e exprimiam-nas sem usar a linguagem, mas por sinais e assim eram os seus livros. A primeira causa criou apenas através da sua essência. O mundo não foi gerado por acaso mas através da providência, e sem deliberação. Foi ele que criou a deliberação. Primeiro, criou uma forma, e depois todas as coisas a partir dessa forma, que é o mundo superior, e as restantes coisas através dessa forma. A matéria foi criada primeiro com uma forma universal e depois revestiu muitas formas, por isso não a vemos nem sentimos. 

Aristóteles - Teologia
.

O Pensamento Mágico


A Feiticeira limpava toda a casa, passava roupa, mudava os móveis de lugar e lustrava o assoalho sem qualquer esforço, apenas balançando a ponta do nariz.  Por vezes a realidade parece nos cansar de tal forma, que desejamos mesmo estas soluções “mágicas”. Seria mesmo ótimo poder lidar com os problemas do cotidiano de forma tão simples. Por vezes desejamos, como fuga, algumas soluções de certa forma parecidas como aquelas mostradas no engraçado seriado dos anos 60. Até aí, tudo bem. O problema surge quando o indivíduo começa a acreditar nesse “pensamento mágico”.

Pensar de forma mágica é acreditar que uma recomendação, uma ordem ou uma lei são suficientes para a concretização de um objetivo. Um exemplo é o sujeito que acredita que ao impedir o uso de uma palavra o mal que ela representa irá desaparecer. Algo como bater com a varinha de condão ou quando a Feiticeira balançava a ponta do seu nariz. E toda essa história de “Politicamente Correto” é isso... É pensamento mágico levado aos limites do absurdo.

Esta forma de ver o mundo, apesar de às vezes parecer apenas ingênua, está ficando perigosa porque dominou a cabeça da nossa classe pensante (!) e se alastra como doença – algo que de fato é, de acordo com a Psiquiatria.

Repare no número de proibições legais e culturais que o “pensamento mágico” nos trouxe; repare na infinidade de mudanças que o “politicamente correto” trouxe às nossas vidas; preste atenção à imbecilização da nossa sociedade (que tende a piorar, dado o rigor do politicamente correto, que se aperta feito uma espiral sem fim...) 

Repare em tudo isso e depois compare com aquele que, na minha opinião, é o principal índice de selvageria:
50.000 assassinatos por ano. E pra isso não adianta balançar o nariz. 



Anderson & Roe - Sonata para 2 Pianos - Mozart

A Morte da Imprensa


Sumner Redstone disse há alguns anos que a imprensa do jeito que conhecíamos estava condenada à morte. Redstone é o todo poderoso do Grupo CBS, maior conglomerado de mídia do mundo, que controla a Columbia Pictures, a Paramont, a MTV e o próprio canal CBS. 

Na época soube deste pronunciamento em um artigo do Diogo Mainardi, mas não dei a devida importância e penso que entendi aquilo em uma dimensão muito menor. Hoje, analisando a situação da imprensa em todo o mundo, principalmente após a grande concentração pós-2003, é fácil perceber que a fala do dono do CBS não era uma opinião, mas uma descrição de um fato inevitável.

O jornalismo que busca encontrar e difundir a verdade não existe mais. A imprensa de hoje é apenas um aparelho ideológico a serviço do dinheiro e da política. Jornalistas são apenas ideólogos repetidores e, na maioria das vezes, nem sabem disso.

O Brasil serve de exemplo: os grandes grupos de mídia estão a serviço dos planos globalizantes e os “blogs independentes” dependem do financiamento do governo. 

Estamos perdidos!

Desafio - A fraude do aquecimento global


Este é um assunto que já deveria ter sumido da pauta, mas como a mídia emburrecedora continua insistindo na teoria do aquecimento global antropogênico, lanço aqui um desafio.

Desafio qualquer adepto da religião do aquecimento global dos últimos dias a prever as condições da natureza no planeta Terra daqui a um ano. Como eles vivem prevendo o que vai acontecer daqui a 500 ou 600 anos, deve ser moleza, já que os fatores diminuem sensivelmente.

Algum “especialista” se habilita?

Dividir pra Conquistar


Estrategistas militares como Sun Tzu, Aníbal, Maquiavel, Stálin e Hitler ensinaram – ou demonstraram – que um caminho certo para a vitória é a divisão do seu oponente. A traição, o conflito e a desconfiança devem ser fomentados no seio do inimigo, a fim de enfraquecer suas estruturas, minar suas resistências e diluir sua força em unidades mais facilmente controláveis.

A guerra silenciosa mais importante que se trava em praticamente todo o planeta desde pelo menos as últimas décadas tem um fundo religioso muito forte e este, por sua vez, pode estar enquadrado em uma dimensão ainda mais ampla, a dimensão espiritual.

Em todos os cantos do mundo o Cristianismo parece destacar-se como alvo comum nos vários conflitos que ocorrem simultaneamente. Nos conflitos bélicos, mais de um milhão de cristãos foram perseguidos e perderam suas vidas nas últimas décadas, em lugares como China, África, Índia e Oriente Médio. Já nos conflitos de ordem cultural cerca de um terço do mundo é atingido na sua forma de viver, de pensar e de crer quando valores caros à Moral Cristã são atacados violentamente por organismos internacionais financiados a peso de ouro e com a única missão de atingir o Cristianismo, que eles vêem como obstáculo aos seus planos globalizantes.

Qualquer um que se informe por fontes primárias e não pela mídia convencional sabe que este ataque ao Cristianismo é sistemático e serve a interesses geopolíticos, mas eu creio que por trás desta “causa eficiente” existe uma “causa original”, e esta é o próprio componente espiritual desta guerra.

O mais triste, no entanto, é perceber que boa parte – para não dizer a maioria – dos ataques aos Cristianismo parte de outros cristãos, obedecendo servilmente aos planos do inimigo: dividir pra conquistar.

O Cristianismo está sob ataque! E o inimigo vai avançar enquanto os cristãos não perceberem que o importante agora não é discutir dogmas...

Os Carneiros Incautos: Sinais que podem indicar que você faz parte do grande rebanho


Hellooooooooooo!


Os carneiros incautos podem mudar. Já vi isto acontecer em diversas ocasiões. Se o incauto com o qual você está lidando em um determinado momento for um estranho ou um mero conhecido, talvez você ache que não compense o imenso esforço necessário para esclarecê-lo para os problemas que estão diante de nós. Mas, se o indivíduo for alguém de sua família, ou uma pessoa querida, você pode não ter escolha senão ir em frente. Não há nada pior do que ver as pessoas com as quais você se preocupa sofrerem por que você não conseguiu adverti-las dos perigos iminentes.



Milhões de pessoas de vários países do mundo começaram a acordar para a ameaça muito real do globalismo repressivo que está sendo planejado, aquilo que a elite financeira e os políticos que trabalham para ela frequentemente referenciam como "Nova Ordem Mundial". O movimento contra essa centralização de poder econômico e social ganhou tração em praticamente todas as esferas até o ponto em que a grande mídia já foi forçada uma vez ou outra a reconhecer sua existência e prevalência. Aqueles que trabalham há vários anos nesta organização ativista, que muitos chamam de "Movimento Patriota", ou "Movimento da Liberdade", já viram avanços incríveis na luta contra a desinformação e na propagação da verdade não-adulterada. Nosso trabalho passou a ser divulgado pelas pessoas em seus círculos de relacionamentos, de forma viral, e o número de membros em nossa organização teve um rápido crescimento. Entretanto, a tarefa de diluir a ignorância na população em geral ainda está longe de terminar.


Cada pesquisador, autor e produtor de documentários que lida com a questão da Nova Ordem Mundial sofre com a triste experiência de encontrar pessoas que estão quase que criminosamente ignorantes dos fatos, e isso acontece com muita frequência. Por um longo tempo, nossa frustração foi ampliada pela nossa incapacidade de definir especificamente o que faz essas pessoas serem do jeito como são. Será se algumas são apenas mentalmente inferiores e incapazes de processar os fatos com eficiência? Estão elas tão doutrinadas pelos grandes veículos da mídia dominante que não há mais possibilidade de retorno? Existe uma diferença inata nas faculdades intuitivas que torna algumas pessoas rápidas em identificar uma mentira, e outras lentas? Existem muitas teorias sobre isto, mas uma coisa é certa: em nossa busca para informar as massas, sempre haverá aqueles que serão incapazes de ouvir ou entender aquilo que temos a dizer, por mais factuais, racionais e refinados que sejam nossos argumentos. Nós agora chamamos a essas maravilhas da rusticidade intelectual de "carneiros incautos".

Os "carneiros incautos" podem ser encontrados em todos os países, em todas as etnias, em todas as organizações religiosas e em toda subcultura. Após anos de exame e experiência, tornou-se muito mais fácil para o Movimento da Liberdade identificar e categorizar as várias formas de carneiros incautos e entender os gatilhos na mente humana que fazem alguns ignorarem deliberadamente a lógica e a sabedoria. Já escrevi no passado sobre esses gatilhos, incluindo meu artigo "Sheeple: Why They Are The Way They Are", que pode ser lido em http://neithercorp.us/npress/?p=182.

Acredito que seja importante abordar a questão outra vez, especialmente à luz das tentativas recentes da mídia dominante, junto com a ADL (Antidifamation League) e a SPLC (Southern Poverty Law Center) de demonizar nosso movimento e nos retratar como os personagens rapaces dos desenhos animados na mente do público em geral, o que tornará as coisas ainda mais difíceis para nós no futuro próximo, se não estivermos preparados. Para aqueles que estão no movimento, saber quando você está lidando com um carneiro incauto, por que eles funcionam cognitivamente daquele modo e como você pode conseguir contornar seus bloqueios mentais é de máxima importância hoje. Cada nova pessoa que é despertada a respeito do abismo em que está prestes a cair pode oferecer uma pequena ajuda para enfrentar a tirania e defender a liberdade de pensamento. Cada pessoa é importante. Com o mundo à beira da ruína financeira e política devido às manipulações e à própria mecânica do elitismo, precisamos trabalhar mais arduamente do que nunca antes.

Nem todos que estão ignorantes ou que não receberam educação sobre os detalhes intrincados do globalismo, do funcionamento dos Bancos Centrais e da Nova Ordem Mundial, são necessariamente "carneiros incautos". Todos nós, um tempo ou outro no passado, estivemos praticamente sem pista alguma sobre as operações reais do nosso governo e da nossa economia por trás da proverbial cortina. Descobri que muitas pessoas estão bastante abertas para as informações que disponibilizo, desde que eu faça isso de um modo que não seja imediatamente massacrante para elas, e desde que eu apresente evidências sólidas para confirmar cada uma de minhas afirmações. É importante poder fazer a distinção entre aqueles que realmente têm o raciocínio lento e aqueles que simplesmente não receberam uma exposição adequada dos fatos.


A seguir, vou listar minhas observações sobre os vários "tipos" de indivíduos incautos e como reconhecê-los. Tenha em mente que algumas pessoas podem se encaixar em mais de uma categoria.

O Incauto Feliz da Vida. Também conhecido como "Mauricinho" ou "Patricinha". A vida é uma festa para estas pessoas. Desde que elas não sejam afetadas pelas circunstâncias imediatas dos problemas que estejam ao seu redor, elas não poderiam se preocupar menos com política, economia, guerra ou com a enganação do governo. Elas podem até estar cientes dos fatos terríveis que estão por trás de alguma questão, mas enquanto a rotina de sua existência neste mundo permanecer intacta, elas têm pouca motivação para mudar seu modo de pensar, ou mudar seu mundo. Na verdade, alguns Incautos Felizes da Vida gostam de uma ou duas catástrofes aleatórias, pois isso serve de assunto para as conversas rápidas em volta da máquina de fazer café na empresa. Os principais interesses deles são o consumismo irrestrito (o acúmulo de coisas desnecessárias) e experiências sexuais sem envolvimento emocional (o acúmulo de uma falsa autoconfiança). Em grande parte, o que eles sabem sobre o mundo foi derivado dos quinze minutos diários assistindo ao noticiário das principais emissoras de televisão. Frequentemente, eles repetem alguns pontos que ouviram nos principais canais de notícias, mas raramente têm alguma ideia original.

Já observei que esses homens e mulheres são normalmente do extrato mais alto da classe média, de famílias de colarinho branco. Provavelmente eles foram mimados e protegidos do sofrimento que existe do lado de fora da bolha de conforto em que nasceram e, provavelmente, nunca tiveram de lutar para conseguir alguma coisa na vida, o que lhes deu um senso audacioso de possuir direitos. Muitas dessas pessoas rompem com esse padrão mental por sua própria conta. Já conheci vários casos assim. Outras, porém, se recusam a ver o óbvio, a não ser que sejam confrontadas com a possibilidade de virem a perder algo se não tomarem uma atitude.

O Incauto Metido a Intelectual. Este é meu tipo favorito. Estas pessoas pensam muito de si mesmas; têm uma autoestima muito elevada. Algumas até mesmo se veem como parte da elite (embora a maioria não seja). Normalmente, são pessoas da "classe profissional", e são médicos, advogados, bancários, investidores, professores universitários, cientistas, etc.; algumas podem ainda não ter saído da universidade, porém já começam a demonstrar um complexo de superioridade.

O Incauto Metido a Intelectual acredita que o mundo da academia não comete erros, ao contrário dos verdadeiros eruditos, que sempre têm a sabedoria de questionar as conclusões da academia. Para mim, um diploma de uma universidade de primeira linha é pouco mais do que um pedaço de papel de 100 mil dólares; ele não me diz nada sobre a verdadeira inteligência da pessoa que o ostenta. Basta somente olhar para os analistas financeiros "profissionais" da grande mídia, que cegamente apoiaram a economia keynesiana e se recusaram a reconhecer as bolhas que estavam sendo criadas pelas taxas de juros artificialmente baixas fixadas pelo Sistema da Reserva Federal (um banco central privado) e a mentalidade do dinheiro de graça. A cara formação educacional deles não serviu para nada e a economia mundial está agora em um ruinoso declínio.

A conclusão é que, em grande parte, a "educação superior" é, na verdade, doutrinação. As pessoas que obtém diplomas em Economia aprendem aquilo que o sistema financeiro quer que elas aprendam, e nada mais. O mesmo se aplica a qualquer outro campo de estudo em que as informações são extremamente centralizadas e filtradas. Todavia, o Incauto Metido a Intelectual têm uma fé tão malcolocada na torre de marfim de sua universidade de primeira linha que assume que atingiu o pináculo do conhecimento. Aqueles que não entram nesse sistema como o Metido a Intelectual entrou, passam a ser ignorados ou ridicularizados sempre que apresentam uma opinião diferente.

Esse tipo de carneiro incauto é movido pelo desejo de obter respeito, poder e, algumas vezes, admiração e adulação servis. Na verdade, para eles, ser inteligente é menos importante do que conseguir fazer os outros acreditarem que eles são inteligentes sem questionamentos. Quando desafiados a provarem sua inteligência, eles frequentemente respondem com indignação. Eles nunca, ou raramente, consideram a possibilidade que possam estar errados em qualquer assunto, especialmente se for um assunto ligado à sua formação universitária. Quando se veem enfrentando alguém que tenha uma melhor compreensão sobre um assunto, eles não cedem. Em vez disso, recorrem às táticas subversivas de debate para confundir a discussão, saem pela tangente para evitar o confronto direto e, quando estão realmente encurralados, proferem frases usando um vocabulário obscuro, na tentativa de impressionar os outros e desviar a atenção do fato que eles não têm ideia sobre aquilo que estão falando.

Os Incautos Metidos a Intelectuais são fáceis de identificar pelo seu comportamento arrogante. Eles tendem a se distanciar de canais de televisão como FOX e CNN e leem publicações como Forbes e Foreign Affairs (a revista oficial do CFR, o Conselho das Relações Internacionais), que ainda são propaganda, porém de uma natureza mais complexa. Eles respondem à maioria dos argumentos com um sorriso, devido ao excesso de confiança, até que percebam que estão sendo vencidos, e então tendem a perder a compostura. É necessário que eles passem por muitos embaraços em público para que comecem a corrigir seus modos.

O Incauto "Idiota da Classe Trabalhadora". Também conhecido como "bom sujeito". (Nota especial: Venho de uma formação paralela, de modo que estou muito familiarizado com esse tipo de indivíduo.) Você poderia pensar que as pessoas que pensam de si mesmas como conservadoras estariam cientes do ímpeto rumo ao governo global e ao fato que grupos como a Al-Qaeda sejam um conto da carochinha para nos distrair da verdadeira ameaça: o elitismo socialista misturado com os interesses das grandes empresas e com a burocracia inchada do governo federal. Aparentemente, este tipo de carneiro incauto gostaria de ouvir falar sobre o assunto, porém o jogo de futebol já começou na televisão, a mulher está reclamando de alguma coisa e as crianças não param de rabiscar as paredes da casa. Tal é a vida de um homem sem prioridades válidas.
Essas pessoas são normalmente subservientes ao neoconservadorismo, uma ideologia que é estranhamente idêntica ao socialismo com uma inclinação empresarial. Mussolini tinha um nome para essa combinação, mas a palavra agora fugiu da minha lembrança...

Não é que elas gostem do grande governo, do socialismo e da perda de suas liberdades, é simplesmente que elas são ignorantes demais para perceber que é para isto que estão contribuindo quando apoiam o atual Partido Republicano. Esses carneiros incautos são muito competitivos. Infelizmente, porém, eles não alcançaram muitas realizações em suas vidas, o que os forçam a viver substitutivamente por meio dos sucessos dos outros, como equipes esportivas, personalidades políticas, e soldados enviados aos buracos do inferno em países do Terceiro Mundo para matar os "caras maus". Ganhar, independente se a luta é legítima ou justificada, está no alto da lista para o Idiota da Classe Trabalhadora.

Eles gostam de acreditar que têm um profundo relacionamento com sua consciência, o que aumenta a dor quando alguém tenta explicar alguma coisa para eles. Esses homens estão justificados em suas próprias mentes por um conjunto de falácias lógicas que deixaria qualquer psicólogo chocado. Ser racional não é importante para aqueles que são veementemente justos aos seus próprios olhos. Eles são os "bons sujeitos", qualquer um que discorde deles é um "mau sujeito", e isto é tudo. A mentalidade deles os torna muito fáceis de enganar e muito fáceis de liderar.

O Idiota da Classe Trabalhadora adora assistir a televisão. Mais de dois ou três dias sem televisão e ele começa a tremer como um viciado em drogas sem consumir sua dose habitual. Ele assiste à programação da FOX religiosamente, porém não comentaristas inteligentes, como Andrew Napolitano. Ele gosta muito mais de tipos psicóticos, como Bill O'Reilley, que profere bobagens sem fundamento. Quando encurralado em uma discussão, esse tipo de carneiro incauto tenta todo truque que conhece para depreciar ou intimidar seu oponente. Quando isso não funciona, ele não vê problemas em recorrer à violência. Como convencer este tipo de carneiro incauto? Encontre uma personalidade de mundo esportivo, um republicano proeminente, ou um militar que fale abertamente sobre a N.O.M. (existem alguns por ai). Somente então ele tirará as vendas dos olhos.

O Incauto da Nova Era. Também conhecido como "coletivista assumido". Não deve ser confundido com as pessoas que fazem estudos legítimos sobre mitologia, espiritismo e os ensinos do passado antigo. Estas são as pessoas que leem livros descartáveis como O Segredo e acham que realmente aprenderam um segredo.

Você não precisa caminhar sobre ovos com os Incautos da Nova Era ao falar sobre a N.O.M. É provável que eles abordem você sobre o assunto. O problema é que eles acham que é a melhor coisa desde que inventaram as varinhas de incenso perfumado! Por quê? Porque a visão deles de uma ordem mundial vem de uma sobreexposição às fantasias do tipo Jornada nas Estrelas e a uma forma subversiva de propaganda que gosto de chamar de "pensamento positivo".

Em sua maioria, os aderentes da Nova Era são pessoas que em um ponto ou outro em suas vidas enfrentaram alguma dificuldade muito grande, ao contrário do Incauto Feliz da Vida. Entretanto, em vez de permanecerem firmes na luta, eles cederam e se encolheram como uma bola, para nunca mais fazerem qualquer esforço real em nada substancial novamente. Em geral, eles fazem desculpas complexas para si mesmos, e adotam conceitos filosóficos do Oriente que não compreendem de verdade. Zen se torna uma desculpa para ignorar o resto do mundo e focar a atenção em algo irrelevante, como tecer cestos com palha de palmeira. O Carma se torna uma desculpa e justificativa para qualquer evento ruim. A consciência de si mesmo se confunde com centrar-se em si mesmo. Enquanto os Incautos Felizes da Vida enfocam superficialmente o mundo exterior, os aderentes da Nova Era enfocam superficialmente seu próprio mundo interior.

O Incauto da Nova Era não sai pelo mundo decidido a corrigir ativa e fisicamente os problemas. Eles seguem a visão do pensamento positivo, que é ignorar as coisas ruins e desejar que elas desapareçam, ou fazê-las desaparecer com "o poder da mente". Não, não estou brincando. Todo aderente de Nova Era que já encontrei adere obstinadamente à crença que se eles se fixarem em bons pensamentos e desejarem aquilo de forma ardente por tempo suficiente, sua "energia mental" invisível mudará o meio ambiente para eles. "Se todos fossem cegamente otimistas sobre todas as coisas, nossa sociedade seria perfeita", eles pensam consigo mesmos. Detesto ter de dar as más notícias para eles, mas nenhuma quantidade de "vibrações positivas" interromperá a implosão inflacionária do dólar, ou impedirá as pessoas que preferiram deliberadamente ignorar suas consciências de fazerem coisas terríveis.

Passei duas décadas praticando artes marciais, de modo que conheço bem a ideia da energia espiritual e mental. Entretanto, nas artes marciais, você aprende (corretamente, creio) que desenvolver o foco interior somente o prepara para a luta, porém não faz a luta desaparecer. A Nova Era na verdade pode ser resumida como uma tentativa de cortar as arestas e agrupar respostas fáceis para os problemas muito complexos e intrincados da vida. É a metodologia de negação do preguiçoso, em que não existe uma realidade concreta, somente "pontos de vista". Isso produz uma mentalidade de colmeia, porque a busca pelo individualismo é em si mesma uma maratona exaustiva, que eles não querem empreender. O coletivismo aberto e declarado é muito mais fácil. Tudo o que você precisa fazer é seguir o enxame. Além disso, como os aderentes de Nova Era forçam a si mesmos a se tornarem tão maleáveis, ao longo dos anos eles irão irrefletidamente se adaptar a qualquer circunstância terrível. Se a realidade é somente um "ponto de vista", então por que não pensar nas guerras e holocaustos como distúrbios ilusórios no tempo?
O único modo que já descobri de convencer os Incautos da Nova Era é mostrar sucintamente para eles que a Nova Ordem Mundial que as elites globais estão construindo não é a mesma que eles gostam de imaginar. Fazer com que eles leiam os documentos da ONU sobre governança global e documentos do governo federal, como o PDD 51 (uma Ordem Executiva que dá poderes ditatoriais ao presidente Obama no caso de alguma emergência) e o Programa de Trabalho Para Presos Civis pode ajudar. Provavelmente, eles ainda acharão que um governo mundial único é uma boa ideia, porém pelo menos não apoiarão a versão das elites.

Os Incautos "Metidos a Ativistas". Também conhecidos como "rebeldes com muitas causas e sem conhecimentos suficientes". Pelo menos estas pessoas estão dispostas a deixar suas casas e lutar por alguma coisa, mesmo sabendo pouco, ou quase nada, sobre aquilo pelo que estão lutando. O problema é que a falta de visão e de uma compreensão profunda da maioria das questões os torna muito susceptíveis à manipulação. Estes são os "idiotas úteis" sobre os quais tanto ouvimos falar; as pessoas que apoiam os grupos anarquistas que promovem ideais socialistas (o que é uma contradição, pois o socialismo é contrário aos dogmas do verdadeiro anarquismo), as pessoas que acreditaram em tudo o que ouviram da Unidade de Pesquisas Climáticas, da Universidade de East Anglia, sobre aquecimento global, embora esse órgão nunca tenha liberado os dados das fontes primárias que provem que aquilo que eles diziam era verdadeiro, as pessoas que acusam o capitalismo e o livre mercado pelo colapso econômico, embora não tenhamos o capitalismo legítimo e o livre mercado há quase um século. Sem conhecer os fatos que estão por trás dessas questões, como alguém pode se envolver eficazmente nelas?

Os Incautos Metidos a Ativistas protestam não tanto para mudar o mundo, mas para se sentirem como estivessem mudando o mundo. Ser parte de algo maior, mesmo que seja uma tapeação, é algo que dá grande motivação. Essas pessoas acham que compreendem as operações da política e da cultura, mas as fontes de informações que elas usam são na verdade estreitas e enviesadas. A NPR (National Public Radio, http://www.npr.org), por exemplo, não é uma fonte confiável de notícias, e somente por que eles falam com uma voz monótona e com um sotaque britânico não significa que estejam informados sobre as tendências sociais subjacentes, ou que sejam objetivos. A maior parte do jornalismo "progressista" é meramente o equivalente esquerdista da FOX: altamente saturado com desinformação e apertando botões para despertar as emoções. Isso ajuda a criar uma subcultura que vê a si mesma como "alternativa", quando na realidade é o outro lado da mesma moeda do falso e velho paradigma.

A vantagem de lidar com os Incautos Metidos a Ativistas é que eles entendem que algo está muito errado no mundo. Isto é mais do que a maioria dos outros incautos consegue entender ao longo de toda a sua vida. A chave é mostrar para eles a imprecisão das fontes de informação em que eles confiam e fazê-los sair da armadilha mental da falsa esquerda/direita. Enquanto continuarem a acusar a "direita" por todos os problemas do planeta, enquanto continuarem a acusar os adversários genéricos e fictícios que foram criados para eles pela mídia, nunca compreenderão por que nosso país continua no caminho para a autodestruição, a despeito de todos os seus discursos públicos.



Argumentos Comuns dos Incautos


A seguir estão alguns dos argumentos mais utilizados pelos carneiros incautos, bem como as respostas racionais para eles:

1) A N.O.M. é apenas uma "teoria da conspiração". Ponha de lado o fato que os políticos e os líderes das finanças falam constantemente sobre a Nova Ordem Mundial em seus discursos, livros ou em entrevistas na televisão. A tentação aqui é chamá-los de incautos e iniciar uma troca de insultos. Quando alguém nos acusa de sermos "teóricos da conspiração", o que ela está realmente dizendo é que somos mentirosos, loucos, ou ambas as coisas. Logicamente, chamar alguém de mentiroso ou de louco não invalida seus argumentos. Ataques à personalidade como este têm o objetivo de interferir ou enfraquecer uma discussão legítima e lógica. Force o incauto a tratar a informação que você apresentou, em vez de permitir que ele faça da sua personalidade o assunto do debate. Esta regra também se aplica a você. Não chame a pessoa de "carneiro incauto" sem fundamentar sua afirmação e sem demonstrar como as crenças dela são inconsistentes. 

2) Sou bem-informado e nunca fui um "carneiro". A maioria dos seres humanos, independente do tempo em que vive, acha que compreende todas as coisas. Até mesmo na Idade Média, as pessoas achavam que tinham atingido o pináculo da compreensão. Elas são capazes de perpetuar essa ilusão porque raramente são desafiadas a provar a precisão de suas informações ou a sabedoria em suas perspectivas. Desafie o conhecimento delas em questões específicas, e mostre para elas que sempre existe algo mais a aprender.

3) Não sou um "carneiro incauto"! Vocé é, porque acredita em teorias da conspiração. Um dos principais fios que ligam todos os carneiros é que eles acreditam naquilo em que creem para que possam pertencer a um grupo, para que possam ser parte de uma maioria. Aprofundar-se na pesquisa sobre a N.O.M. é a última coisa que alguém faz para "se encaixar". A simples menção dela já afasta os amigos, familiares, potenciais pessoas para namorar, etc. Ninguém segue estas informações porque espera se sentir aceito pelas massas. Quem segue é porque sabe que é a verdade.

4) A N.O.M. não é possível porque envolveria um número muito grande de pessoas. Alguém deixaria o gato sair da bolsa em algum momento. Na verdade, as elites globais permitem que o gato saia da bolsa constantemente. Elas falam de forma bem aberta sobre os planos para o governo mundial, o controle financeiro global, o controle e redução da população, e redigem leis que têm o propósito de limitar ou remover as liberdades civis. 

5) Você está conectando pontos que não existem. Nem eu, nem qualquer outro pesquisador precisa "conectar os pontos" quando temos as admissões públicas e os documentos das próprias elites.

6) Você está apenas disseminando o medo para chamar a atenção. O termo "disseminar o medo" indica o uso de mentiras para induzir a histeria. Se as informações que apresentamos são verdadeiras e suportadas por fatos tangíveis, então como as outras pessoas são afetadas por elas não é problema nosso; é problema delas. Francamente, aprender a verdade deve fazer uma pessoa se sentir capacitada, não histérica.

7) Tudo é simplesmente um caos. Não existe este negócio de uma conspiração organizada para controlar o mundo. Os eventos que eles veem como caos fazem perfeito sentido para nós porque temos uma compreensão das informações que eles não têm. É simples assim. Os numerosos movimentos em um complexo cronômetro podem parecer como caos para alguém que não saiba o que é um cronômetro, ou o propósito das engrenagens e dos ponteiros. Tente explicar o conceito de cor para um cego. Sem um relato completo dos fatos, é muito difícil para alguém saber alguma coisa. Além disso, uma rápida consulta em qualquer enciclopédia, mesmo aquelas que passam por uma forte edição, revelará numerosas "conspirações" ao longo da história por pequenos grupos de homens para governar o mundo conhecido à custa do restante da população. Por que isto foi perfeitamente possível um século atrás, ou cinquenta anos atrás, mas não seria hoje?

8) Sim, sei que a N.O.M. existe, mas e daí? Não podemos impedi-la, então simplesmente viva sua vida e divirta-se enquanto puder. O niilismo é o pior tipo de doença mental, porque permite que uma pessoa cumpra constantemente suas próprias profecias por meio da omissão. Quando se trata de um progresso cultural, não existe este negócio de cenário intransponível. Qualquer coisa pode ser realizada com a quantidade certa de inteligência e de esforço. Os niilistas não se esforçam para corrigir os problemas com os quais são confrontados, depois dizem que estavam certos em serem niilistas porque nada mudou. Temos uma responsabilidade não apenas com nós mesmos, mas com o futuro. Temos uma responsabilidade de lidar com os problemas do presente, em vez de empurrá-los para a próxima geração.

9) É nossa falha que os globalistas perpetrem assassinatos e permaneçam impunes. A maioria de nós é simplesmente tola demais. Isto é parcialmente correto. A pessoa mediana compartilha parte da culpa por não se educar a respeito das circunstâncias atuais, e por não tomar uma atitude. Entretanto, são as elites que iniciam os crimes que depois somos forçados a encarar ou ignorar. São elas que literalmente gastam bilhões de dólares em propaganda destinada a nos manter em uma névoa. Portanto, no fim, a maior parte da culpa é das elites, não do povo.

10) O que há de tão ruim com um governo global? Seria o fim das guerras, certo? Um governo mundial criado com base em uma estrutura coletivista e governado por homens que acreditam que sejam "genética e filosoficamente superiores" ao resto de nós não corrigiria coisa alguma. Ele somente tornaria nossos problemas atuais piores. A guerra seria perpétua, pois sempre haverá povos que lutarão para se livrarem do despotismo, e até os governos planetários precisam criar o medo para manipular a população a caminhar em direção a certos objetivos. Nossa economia será equalizada, o que significa dizer que ela será igualmente opressiva e feudal para todos. Além disso, as liberdades que usufruímos hoje serão uma coisa do passado amanhã. Qualquer pessoa que acredite realmente que mais governo nos torna mais "protegidos" não é apenas ingênua, mas é realmente um "carneiro incauto".

Rompendo a Barreira dos Incautos

Os carneiros incautos podem mudar. Já vi isto acontecer em diversas ocasiões. Se o incauto com o qual você está lidando em um determinado momento for um estranho ou um mero conhecido, talvez você ache que não compense o imenso esforço necessário para esclarecê-lo para os problemas que estão diante de nós. Mas, se o indivíduo for alguém de sua família, ou uma pessoa querida, você pode não ter escolha senão ir em frente. Não há nada pior do que ver as pessoas com as quais você se preocupa sofrerem por que você não conseguiu adverti-las dos perigos iminentes.

As seções acima podem ajudar a facilitar o processo de despertar um membro do rebanho, embora os melhores esforços serão desperdiçados sem paciência e persistência. Em toda pessoa existem barreiras e portas para a verdade. O truque é encontrar as chaves que abram essas portas e rompam as barreiras. Existem alguns que dirão ser fútil tentar, que devemos deixar tudo como está e que muitos já não podem mais ser ajudados. Discordo. Se isto fosse verdade, então o Movimento da Liberdade não estaria fazendo os tremendos avanços que está conseguindo atualmente. Não chegamos onde estamos agora desistindo quando as águas se tornaram turbulentas, e acredito que quando alguém escrever ou falar sobre esta época, será nossa perseverança sobre tudo o mais que será lembrada. É uma tarefa árdua derrotar um adversário que não pode ser dissuadido, que não pode ser forçado a desistir. É praticamente impossível derrotar esse mesmo adversário quando ele também está certo. Para aqueles na Nova Ordem Mundial, somos esse tipo de adversário. Desde que não vacilemos, o número de carneiros incautos diminuirá com o tempo, sendo substituído por indivíduos vibrantes e conscientes, e as ambições deturpadas dos globalistas não se concretizarão.

Autor: Giordano Bruno, artigo publicado em http://neithercorp.us/npress/?p=287
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/carneiros.as 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...