Pela Ordem - Sobre a Igreja Católica



Não tenho qualquer procuração para defender o Catolicismo, também não acredito que a Igreja Católica precise da defesa deste católico relaxado. De qualquer forma, no entanto, a verdade deve sempre prevalecer neste blog, por isso resolvi refutar algumas bobagens que vejo espalhadas na Internet, muitas vezes por pessoas que acreditam estar contribuindo com o Cristianismo.

Em uma época em que todas as atitudes do inimigo estão organizadas e direcionadas, atacar a Igreja Católica é atacar o Cristianismo. Pense bem: após a queda da Igreja Católica, quanto tempo vai levar para caírem as igrejas protestantes?

As imagens e os santos
Muitos protestantes criticam os católicos por causa da nossa relação com as imagens. Isso se explica apenas pela falta de compreensão da diferença entre "adorar" e "venerar".  Católicos não adoram imagens, veneram imagens. E muitas vezes a presença de imagens no ambiente funciona como símbolo, lembrança e reforço para a presença de Deus. Digo isso por exepriência própria.

O mesmo se diz sobre os Santos, que mais do que produzir milagres, simbolizam a possibilidade de santificar nossa vida. Os Santos contam a história do Cristianismo, nos mostram como é possível seguir os exemplos de Jesus Cristo, dentro das nossas capacidades e apesar das falhas humanas. Santos não são adorados, mas venerados.

Os Livros da Bíblia
A Igreja Católica não incluiu livros da Bíblia, Lutero os retirou, aparentemente, porque estavam em contradição com sua teologia da salvação pela Graça.

A Inquisição
Já vi ignorantes dizendo que a Inquisição matou “milhões”. Nem os inimigos da Igreja Católica durante a Revolução Francesa chegaram a tamanhos absurdos. Hoje qualquer semi-analfabeto acusa a Igreja sem qualquer refutação, e por isso um bando de papagaios sai repetindo a ladainha sem nem saber do que se trata.

Na pior das hipóteses foram menos de 40.000 condenações em pelo menos 20 nações, durante 450 anos, sendo que a maioria dos condenados nunca chegou à punição de fato. O historiador Agostino Borromeo, por exemplo, sustenta que, na Espanha, apenas 1,8% dos investigados pela Inquisição espanhola foram mortos, e muitas vezes foram queimados bonecos nas condenações à revelia. No caso das bruxas, muitas foram queimadas em 2 séculos, principalmente na Alemanha e na Inglaterra protestantes, mas mesmo assim em número muito inferior às acusações modernas.

As Cruzadas
As Cruzadas foram uma resposta justa, proporcional e tardia às invasões islâmicas na Terra Santa e aos ataques às caravanas européias. Não “dizimaram populações”, não fizeram “rios de sangue” nem mataram milhões. Só a título de exemplo, a Primeira Cruzada partiu com cerca de 3.000 cavaleiros e tomou Jerusalém em 15 de Julho de 1099, com 1.000 homens, menos de um terço dos soldados inimigos.  Os cavaleiros cruzados foram os maiores guerreiros da História, tanto no aspecto técnico-militar quanto no aspecto moral-ético.

Todo o resto é balela!

Sei que um resumo como esse não esgota a discussão, mas o importante agora é afirmar que os  dogmas, diferenças teológicas e de interpretação podem ficar para mais tarde.

O tempo é de união:
"Defender a Igreja Católica é defender o Cristianismo e o Ocidente".
 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...