O Pensamento Mágico


A Feiticeira limpava toda a casa, passava roupa, mudava os móveis de lugar e lustrava o assoalho sem qualquer esforço, apenas balançando a ponta do nariz.  Por vezes a realidade parece nos cansar de tal forma, que desejamos mesmo estas soluções “mágicas”. Seria mesmo ótimo poder lidar com os problemas do cotidiano de forma tão simples. Por vezes desejamos, como fuga, algumas soluções de certa forma parecidas como aquelas mostradas no engraçado seriado dos anos 60. Até aí, tudo bem. O problema surge quando o indivíduo começa a acreditar nesse “pensamento mágico”.

Pensar de forma mágica é acreditar que uma recomendação, uma ordem ou uma lei são suficientes para a concretização de um objetivo. Um exemplo é o sujeito que acredita que ao impedir o uso de uma palavra o mal que ela representa irá desaparecer. Algo como bater com a varinha de condão ou quando a Feiticeira balançava a ponta do seu nariz. E toda essa história de “Politicamente Correto” é isso... É pensamento mágico levado aos limites do absurdo.

Esta forma de ver o mundo, apesar de às vezes parecer apenas ingênua, está ficando perigosa porque dominou a cabeça da nossa classe pensante (!) e se alastra como doença – algo que de fato é, de acordo com a Psiquiatria.

Repare no número de proibições legais e culturais que o “pensamento mágico” nos trouxe; repare na infinidade de mudanças que o “politicamente correto” trouxe às nossas vidas; preste atenção à imbecilização da nossa sociedade (que tende a piorar, dado o rigor do politicamente correto, que se aperta feito uma espiral sem fim...) 

Repare em tudo isso e depois compare com aquele que, na minha opinião, é o principal índice de selvageria:
50.000 assassinatos por ano. E pra isso não adianta balançar o nariz. 



11 comentários:

Le Gall : Décrypter Le Système Pyramidall disse...

ma sorcière bien aimée...ke préférais encore Chapeau melon (Los Vengadores-The Avengers) avec Emma Peel

Artes e escritas disse...

Gostei demais desse seu texto, sou contra o pensamento mágico, a realidade é o caminho. Um abraço, Yayá.

Prof. Wagner disse...

Muito bom esse texto. Você deveria desenvolver melhor sua tese, ela é ótima.

Prof. Wagner
Salvador/BA

Anônimo disse...

Muito bom

lucia, a louca disse...

gostei muito desse post, além de ter vivido a época desse maravilhoso seiado (60 e poucos) anda acho que vc foi muito feliz nessa análise. bom e raro achar blogs com conteudo de qulidade como o seu, por isso vivo aqui...huahua
bjs
lucia

Anônimo disse...

grande postagem, ale.

LUCONI disse...

Adorei ver a foto da feiticeira, recordei bons tempos, agora o teu texto é ótimo, nada é mágico tudo segue uma ordem natural, plantamos e colhemos, simples, beijos Luconi

Farengotti disse...

Gosto bastante da sua postagem sobre a questão do politicamente correto. Muito sincera e diferente da obviedade que reina na Internet.
Forte Abraço
R. Farengotti Santos

Anônimo disse...

A cada dia gosto mais desse blog...

Lúcia P.

Anônimo disse...

MINHA AMIGA ADRIANA INDICOU ESSE BLOG HÁ UMAS DUAS SEMANAS, SÓ HOJE CONSEGUI VISITAR. VOCÊS ESTÃO DE PARABÉNS, SEMPRE ANÁLISES BEM FEITAS E SEM FRESCURA...


E O MELHOR É SER INCORRETO POLITICAMENTE DO COMEÇO AO FIM.... HUASHUAHUASHUAS

Em frente! disse...

Apesar de ser - tão quanto os outros deste blog - um texto genial, permita-me uma outra reflexão breve, talvez de um outro ponto de vista. Apesar de não ter uma boa base teórica, pensando demasiadamente sobre isso, acredito que esse espiral seja de fato negativo momentaneamente, no entanto para que em um futuro ( distante ) as diferenças sejam elas quais forem, não causarem tamanhos estragos como hoje acontece. Apesar de concordar que medidas como essa são idiotas, acho que ainda somos idiotas o suficiente para precisar disso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...