Imaginação e Inteligência


Aristóteles nos ensinou que a memória não trabalha diretamente com os dados sensíveis da realidade, e sim com os elementos que ficaram gravados na imaginação. Como a nossa mente usa os dados da memória para raciocinar, parece-me evidente que expandir a imaginação é o caminho mais adequado para aperfeiçoar a inteligência.

A seleção das impressões com que “alimentamos” a nossa imaginação é, portanto, uma das mais importantes tarefas, não apenas para quem pretende seguir uma carreira intelectual, mas também a todos humanos que desejam valorizar sua capacidade cognitiva.

Expandir a imaginação significa conhecer mais e mais possibilidades humanas, significa preparar o intelecto para a realidade. Nesta lógica, a quantidade e, principalmente, a qualidade das histórias que ouvimos, lemos ou vemos são fatores fundamentais.  Não é por outro motivo que desde a Antiguidade a literatura, o teatro e a tradição oral foram tão apreciados por todos os sábios.

Selecionei um trecho que deve jogar luz sobre essa questão.

A mente humana é constituída de tal forma que não consegue raciocinar senão sobre símbolos acumulados na memória -- jamais diretamente sobre os dados sensíveis, exceto na medida em que a forma deles coincida com a de algum símbolo prévio. Os símbolos, por sua vez, provêm dos dados sensíveis, mas não em linha direta: é preciso um longo e complicado processo de acumulação, filtragem e síntese imaginativas – inconsciente ou semiconsciente na sua maior parte – para que a infinidade de elementos colhidos pelos sentidos se organize numas quantas formas estáveis. São estas formas que, condensadas em nomes ou em qualquer outro tipo de sinais reconhecíveis, constituirão a matéria-prima do “raciocínio”. Este, portanto, só se refere a alguma “realidade” de maneira secundária e indireta, isto é, através das evocações que os nomes sugerem à memória e à imaginação.
Olavo de Carvalho (www.olavodecarvalho.org)

4 comentários:

NOEMI disse...

FANTÁSTICO SEU BLOG.
ERA TUDO QUE EU QUERIA.
ABRAÇOS

Brasil Desnudo disse...

Olá!

Um dos trechos do seu post cabe bem como exemplo aos nossos Políticos!
"A seleção das impressões com que “alimentamos” a nossa imaginação é, portanto, uma das mais importantes tarefas, não apenas para quem pretende seguir uma carreira intelectual, mas também a todos humanos que desejam valorizar sua capacidade cognitiva."
Essa capacidade conjuntiva deveria ser usada pelos nossos políticos para aperfeiçoar e melhorar a vidas dos mais de 60 milhões de brasileiros que vivem como miseráveis.

Excelente matéria a sua.

Abraços

Marcio RJ

lila rizzon disse...

Fantástico mesmo seu blog. Adorei e já virei sua seguidora! Parabéns! Esse texto que você postou aqui me remeteu ao que diz Einstein. Bem legal!! Abraços,

Viná Garcia S. de Moraes disse...

"Alimentar a imaginação para desenvolver a inteligência", as crianças fazem isso muito bem,mas nós adultos esquecemos. Parabéns pelo blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...